De acordo com Jaroslav Sussland, diretor de Relações Internacionais da Lamborghini no Brasil, o Aventador já tem sete encomendas por aqui. Entre os futuros proprietários – que desembolsaram R$ 2.600.000 para ter o superesportivo na garagem –, a maioria já era cliente da marca. A partir do ano que vem, Sussland estima que dez unidades anuais sejam destinadas ao Brasil.

O Lamborghini Aventador foi apresentado oficialmente durante o Salão de Genebra, em março. Equipado com motor V12 de 700 cv (capaz de leva-lo aos 100 km/h em 2,9 segundos e à velocidade máxima de 350 km/h), o superesportivo foi o sucessor do Murciélago.

Sobre a intenção da Lamborghini em não mais produzir carros com transmissão manual, Sussland afirma que decisão não afetaria o Brasil: “desde outubro de 2009, quando chegamos oficialmente no mercado brasileiro, nenhuma unidade com câmbio manual foi vendida”.

Rodrigo Mora

|