Nova geração da Hilux, enfim, é flagrada

Picape da Toyota foi vista disfarçada na Tailândia, país especialista no segmento

Toyota Hilux 2016 flagrada na Tailândia | Imagem: New Vigo Club

Se um automóvel coreano pode mudar de geração em apenas cinco anos, veículos utilitários são justamente o oposto: demoram uma eternidade para trocar de projeto. É por isso que, mesmo com uma concorrência renovada, a Toyota até agora não havia mexido na Hilux, sua picape média global.

Mas, enfim, esse momento chegou. Um exemplar da 8ª geração foi flagrado numa estrada na Tailândia, país que concentra o desenvolvimento desse tipo de veículo no mundo – foi lá que surgiram as atuais Ranger, S10 e L200, por exemplo.

Bem disfarçada, como mostram as fotos, a nova picape Hilux pouco revelou, mas é possível perceber alguma semelhança entre ela e o novo Corolla na grade frontal e no para-choque pronunciado.

Segundo relatos no exterior, a Hilux passará a usar a plataforma TNGA (Nova Arquitetura Global Toyota, numa tradução do inglês), que se assemelha a MQB, da Volkswagen, conhecida pela versatilidade em dar origem a carros tão diferentes quanto um Seat e um Audi.

A ideia é que, com isso, o utilitário seja mais leve e barato de produzir. Mas a grande dúvida é saber se isso significa que a Toyota abdicou da solução chassi-carroceria hoje utilizada, em favor de um chassi monobloco, como os de qualquer carro de passeio.

Essa sacada será usada pela Fiat em sua inédita picape média, baseada no sedã Viaggio, e tanto no caso da marca italiana quanto da japonesa, se traduz num modelo mais prazeroso de dirigir, porém, menos afeito à lama, na teoria. Pode se compensar isso com bastante tecnologia embarcada,  é verdade.

A nova Hilux deve ser apresentada apenas em 2015, a princípio, já como modelo 2016. Ou seja, mais de 10 anos depois da atual. O tempo realmente não passa para os utilitários.