Novas centrais multimídia: VW e Chevrolet escolhem caminhos diferentes para aprimorar conectividade

Entenda qual é uma das principais diferenças entre a recém-apresentada VW Play e o Chevrolet MyLink
Acima a central multimídia MyLink aplicada no Chevrolet Tracker

Acima a central multimídia MyLink aplicada no Chevrolet Tracker | Imagem: Divulgação

Em um mundo cada vez mais digitalizado, nossa dependência de aplicativos e smartphones para adquirir produtos e serviços cresce a cada dia. Nesse contexto, é natural que no mundo automotivo as centrais multimídia ganhem cada vez mais importância. Presentes desde os carros de entrada até os modelos mais luxuosos, esses aparelhos hoje respondem por um dos itens mais desejados por uma boa parcela dos consumidores.

Logo, daqui para frente as centrais multimídia passarão a contar com uma atenção cada vez maior por parte das fabricantes.

Nessa linha, quem promoveu um bom upgrade em relação aos demais aparelhos que estávamos acostumados a encontrar nos carros nacionais foi a Chevrolet, por meio da geração mais recente de sua central multimídia MyLink hoje aplicada nas linhas Onix, Tracker, entre outras.

Um grande atributo do MyLink foi popularizar um recurso que já estava presente há um bom tempo em carros premium: o Wi-Fi nativo. Com isso, a central multimídia torna-se um roteador, oferecendo a mesma praticidade que você tem em casa para conectar smartphones, tablets, entre outros aparelhos. No caso do MyLink, é possível manter até sete dispositivos conectados simultaneamente inclusive a uma distância de até 15 metros ao redor do veículo. Em especial no caso de uma estrada com o carro trafegando em velocidades mais elevadas, o Wi-Fi nativo tem a vantagem de manter uma intensidade de sinal até 12 vezes superior em relação ao que você consegue com um smartphone nesse tipo de situação.

Claro que tudo isso tem um preço, que no caso do Chevrolet MyLink varia de R$ 29,90 para um plano de 2 GB por mês, alcançando até R$ 84,90 para um consumo de 20 GB. Oferecendo também os sistemas de espelhamento Apple CarPlay e Android Auto, o Chevrolet MyLink trabalha com a lógica de que o smartphone ainda é a principal ferramenta para operar os aplicativos e demais soluções de conectividade, sendo que a central multimídia entraria com o suporte a uma internet mais estável. A solução, contudo, representa um gasto adicional para o consumidor, uma vez que além de arcar com o seu plano de voz e dados para o celular, teria também que pagar pela conexão extra do automóvel.

A Volkswagen, por sua vez, foi por uma linha diametralmente oposta à da Chevrolet com a central multimídia VW Play, aparelho desenvolvido no Brasil e que estreia inicialmente no Nivus.

Na nova central multimídia da VW você encontra alguns aplicativos importantes previamente instalados no aparelho, permitindo que a VW Play faça as vezes do próprio smartphone. É uma lógica de funcionamento muito próxima de centrais multimídia usadas pela Suzuki (no S-Cross, por exemplo) e por algumas outras marcas, porém com uma interface muito melhor.

Ao contrário da central multimídia da Chevrolet usada na gama Onix, a VW Play não fornece acesso à internet e também não funciona como um ponto de Wi-Fi, logo ela vai depender do celular do usuário para se comunicar com a rede mundial de computadores e acessar serviços como o Deezer (música), Waze (navegação), entre outros.

A VW Play elimina o custo extra de um plano de dados específico para a central multimídia, como ocorre com o MyLink, mas demanda que você conte com um plano de internet mais robusto em seu smartphone. A Volkswagen explicou que pode, no futuro, trazer a tecnologia do Wi-Fi nativo para sua nova central multimídia, porém vai depender da demanda do mercado.

É fato que a Chevrolet também caprichou bastante na mais recente geração do MyLink, melhorando consideravelmente o aspecto visual das telas de navegação, bem como a velocidade de resposta do aparelho. É muito provável que esses atributos também serão compartilhados pela VW Play, algo que vamos conferir de perto apenas depois do lançamento do Nivus.

Temos aqui, portanto, duas “escolas” ou modos bem particulares de pensar a conectividade e que agora serão testados pelos respectivos públicos das duas marcas.

Não é certo dizer que uma central é melhor que a outra, uma vez que só com a combinação das características principais dos dois aparelhos é que alcançaríamos a central multimídia ideal. Vale a pena, dessa forma, levar em conta os atributos de cada uma delas para fazer a sua escolha.

Tanto o MyLink como o VW Play merecem elogios por difundirem em carros mais acessíveis algumas funcionalidades e serviços até então restritos a modelos de maior valor agregado. Uma excelente prova de que o rápido avanço dos sistemas de conectividade anda de mãos dadas com a democratização da tecnologia.

Acima a central multimídia MyLink aplicada no Chevrolet Tracker

Acima a central multimídia MyLink aplicada no Chevrolet Tracker

Detalhe da nova central multimídia VW Play que estreia no Nivus

Detalhe da nova central multimídia VW Play que estreia no Nivus

Assine a newsletter semanal do AUTOO!