Opinião: discreto na categoria, Citroën C4 Cactus é uma boa alternativa na compra PcD

Modelo traz um bom pacote de itens de série e preço final competitivo
Citroën C4 Cactus 2020

Citroën C4 Cactus 2020 | Imagem: Divulgação

Quem está realizando a primeira compra PcD ou já está mais acostumado com esse universo, sente na prática o quanto é preciso pesquisar e negociar até encontrar o modelo que mais lhe agrada. Uma vez definido o tipo de carroceria, quem opta pela compra com isenção sabe que não é fácil encontrar o modelo que ofereça o melhor nível de equipamentos e ainda respeite o teto de preço para se enquadrar nas isenções de IPI e ICMS.

Claro que hatches e muitos sedans compactos oferecem pacotes de equipamentos mais vantajosos, até porque, naturalmente, seus valores de mercado são mais acessíveis. Com isso, fica mais fácil para eles enquadrarem-se na compra com isenção até mesmo em suas versões destinadas ao público em geral, com grande parte desses modelos trazendo listas de itens de série bem robustas por valores abaixo de R$ 70.000.

Mas, atualmente, quem domina a preferência do público são os SUVs e é lógico que isso não seria diferente com os clientes prontos para realizar a compra com isenção.

Entre esses modelos, é inegável que o Volkswagen T-Cross na versão Sense contou com uma grande procura entre o público PcD e não foi sem razão, afinal ele entrega um projeto moderno e seguro, conjunto mecânico avançado e eficiente – com direito a motorização turbo com injeção direta –, além de itens de série bastante valorizados, como a central multimídia, 6 airbags e os controles de tração e estabilidade.

O excesso na demanda, contudo, fez a fila de espera pelo VW saltar para até 180 dias, o que fez muitos consumidores pensarem em alternativas.

A lógica leva a crer que grande parte do segmento PcD deve migrar para o novo Chevrolet Tracker, que terá um lote inicial bastante completo em sua configuração 1.0 Turbo automática, destinada apenas para a compra com isenção. Com recursos antes sequer imaginados em um SUV compacto, o Chevrolet trará até mesmo sistema de chave presencial. Além disso compõem seu excelente pacote itens como 6 airbags, controles de tração e estabilidade, central multimídia e recursos ausentes até mesmo no T-Cross Sense como apoio de braço, câmera de ré, sensor de estacionamento, controlador e regulador de velocidade (piloto automático), entre outros. Rodas de liga leve, tampão do porta-malas e a pintura do rack de teto vão figurar inicialmente como itens de série no Tracker para PcD, porém devem ser retirados posteriormente.

Com as cartas na mesa – foi necessário fazer essa introdução um pouco longa – vale a pena aos clientes PcD ficarem também de olho em um modelo hoje discreto na categoria, mas com boas qualidades.

Estamos falando do Citroën C4 Cactus, hoje apto para a compra com isenção no catálogo Novo Feel Business. Vale a pena destacar que a Citroën cometeu algumas falhas – isso é inegável – ao lançar o C4 Cactus para PcD com um pacote bastante completo (Feel Business na época), retirar uma boa parte dos equipamentos ainda no mesmo ano/modelo (quando tornou-se Live Business) e retomar a oferta do catálogo mais completo a partir do fim do ano passado. Isso, certamente, deixou alguns consumidores do Citroën irritados à época, porém parece que a marca aprendeu a lição.

O que é interessante no C4 Cactus Novo Feel Business é justamente sua lista de equipamentos bem completa, um “meio-termo” entre o que T-Cross Sense e Tracker 1.0 Turbo automático oferecem. O Citroën em seu atual catálogo para PcD sai de fábrica com central multimídia, apoio de braço (ainda que discreto), painel digital, tampão do porta-malas, controles de tração e estabilidade, rodas de liga leve aro 17” e até mesmo câmera de ré. Temos, portanto, um carro bastante equilibrado nesse aspecto.

Vale a pena citar que outros SUVs compactos, entre eles Hyundai Creta, Jeep Renegade e Nissan Kicks, sequer saem de fábrica com central multimídia (e alguns deles muito menos com rádio), além do prosaico tampão do porta-malas, somente para citar dois exemplos. Logo, esses carros exigem do público PcD um gasto muitas vezes considerável em acessórios.

Modelo lançado no Brasil no segundo semestre de 2018, o C4 Cactus (na Europa, onde é vendido há bem mais tempo, ele é posicionado como um hatch médio) ainda tem um projeto recente em sua adaptação para o mercado latino-americano. Contam a seu favor os 2,60 m de entre-eixos, que se traduz em bom espaço interno para cinco ocupantes, e o acabamento diferenciado em relação a muitos de seus rivais diretos. Podemos dizer que o C4 Cactus é, no mínimo, menos espartano do que vários concorrentes, com uma cabine que não aparenta ser tão simples.

Quem já realizou pesquisas mais profundas no segmento sabe que um ponto onde o C4 Cactus poderia melhorar é o seu porta-malas para 320 litros, um dos menores do segmento ao lado do Renegade. Se você não tem uma família muito grande ou não transporta objetos muito volumosos, o C4 Cactus poderá lhe atender com relativa tranquilidade uma vez que, apesar de não muito generoso na capacidade nominal, seu porta-malas é bem aproveitado. Com isso, vale a pena você ir um pouco além da ficha técnica e conferir, presencialmente, se o compartimento é suficiente para seu uso. 

Na comparação com T-Cross e Tracker, é claro que o C4 Cactus deve um conjunto mecânico mais avançado, porém ele não fica devendo em nada nas respostas ao volante. Se não se equipara em termos de desempenho com a dupla turbinada de VW e Chevrolet, ao menos o C4 Cactus é um modelo que agrada bem mais ao volante em relação a Hyundai Creta 1.6 automático e Jeep Renegade 1.8 flex também automático, dois modelos que são apáticos na performance e no consumo.

O C4 Cactus não chega a ser tão econômico quanto Tracker e T-Cross, porém suas médias de até 10,4 km/l na cidade e 13 km/l na estrada com gasolina são plenamente aceitáveis.

Muito se fala da desvalorização dos carros franceses, porém, segundo dados da Fipe, ao compararmos as versões PcD de C4 Cactus e Renegade, por exemplo, temos uma desvalorização projetada no primeiro ano de 8,91% para o Citroën e 8,86% para o Jeep, portanto praticamente um empate. Por se tratar do modelo mais vendido pela Citroën no Brasil atualmente, o C4 Cactus não deverá ter muitos problemas de liquidez na hora da venda.

Por fim, nossa ideia aqui não é comparar modelos ou dizer quais são os melhores, mas, na muitas vezes difícil decisão de escolher um automóvel para a compra PcD, o Citroën C4 Cactus é certamente um modelo que reúne características boas o suficiente para projetá-lo como uma alternativa a Chevrolet Tracker 1.0 Turbo automático e Volkswagen T-Cross Sense.

Citroën C4 Cactus 2020
Central multimídia com câmera de ré: item de série no Citroën C4 Cactus para PcD 
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!