Peugeot Citroën aposta em retomada no Brasil a partir de 2020

Em balanço de 2019, montadora viu lucros crescerem, mas vendas caírem mundo afora. Novo 208 e inédita picape Landtrek prometem recuperar espaço perdido
Peugeot Landtrek 2021

Peugeot Landtrek 2021 | Imagem: Divulgação

A PSA, holding que controla as marcas Peugeot, Citroën, DS e Opel/Vauxhall, apresentou nesta quarta-feira, 26, seus resultados financeiros de 2019 e, para a surpresa geral, viu seu lucro crescer mais do que o esperado. A divisão automotiva teve margem de 8,5% contra 7,6% em 2018 e bem acima da meta da empresa, de 4,5% no mínimo até 2021.

O lucro extra, no entanto, não se originou da ampliação das vendas e sim no aumento da eficiência em suas linhas de produção e contratos de compras, por exemplo. Na realidade, a PSA viu seus carros venderem menos que em 2018. Foram 3,479 milhões de veículos no ano passado contra 3,878 milhões há dois anos, uma queda de 10,3% incluindo o Irã, país em que a empresa deixou de atuar.

O grupo continua concentrado na Europa, onde estão 87% das suas vendas. A América Latina, por exemplo, representa somente 4% de participação das marcas associadas à empresa francesa. E a região viu seus números caírem ainda mais que a média mundial: de 175 mil emplacamentos em 2018 para apenas 136 mil unidades no ano passado, um tombo de 22,5% - o maior sem considerar os dados do Irã na região que compreende o Oriente Médio e África.

Apesar do ambiente ruim, muito em função da crise econômica na Argentina, a PSA se diz otimista com os países latino-americanos. No Brasil, inclusive, a Citroën teve uma boa recuperação que encobriu a queda da Peugeot em 2019.

Segundo a apresentação do grupo, a fabricante aposta numa retomada a partir deste ano e a principal fonte de otimismo vem da plataforma CMP, que está em implantação na unidade argentina. Graças a ela, o mercado brasileiro terá acesso ao novo Peugeot 208 este ano e em breve também a picape média Landtrek, recentemente revelada. Um pouco mais para frente será a vez do SUV 2008 enquanto a Citroën renovará seus produtos como o C3.

Opel ainda distante

A Peugeot Citroën também confirmou o lançamento da marca Opel no Equador e Colômbia em 2020, como já havia sido revelado anteriormente. Hoje apenas o Chile importa os veículos da marca alemã onde as vendas cresceram 19% no ano passado.

Pelo seu tamanho e complexidade, o Brasil permanece fora dos planos de curto prazo da Opel. Uma operação estruturada em nosso mercado é algo muito grande e que merece um planejamento maior, além de enfrentar toda a burocracia e problemas logísticos já mais que conhecidos.

A PSA parece confiante de que desta vez a situação será diferente. Suas marcas tentam se reerguer na região há bastante tempo, mas com resultados modestos. Segundo a fabricante, a percepção de qualidade em seus produtos têm aumentado e hoje ela seria “Top 3” em satisfação do consumidor, de acordo com pesquisas internas. Tudo leva a crer que o grupo francês está fazendo a lição de casa, só falta mesmo isso se refletir nas vendas.

Flagra do novo Peugeot 208 fabricado na Argentina
Flagra do novo Peugeot 208 fabricado na Argentina
Imagem: Argentina Autoblog/Reprodução internet

Assine a newsletter semanal do AUTOO!