Porsche celebra 50 anos do 911

Clássico esportivo alemão já passou das 820 mil unidades produzidas em sete gerações

Porsche celebra 50 anos do 911 | Imagem: Porsche

O Porsche 911, um dos carros mais icônicos da indústria automobilística mundial, já é um senhor. A montadora de Stuttgart comemora neste ano os 50 anos de seu principal produto, que já superou o volume de 820 mil unidades produzidas em sete gerações. Nascido nas pistas, onde acumula mais de 30 mil vitórias em variadas categorias, o modelo triunfou em provas como as 24 Horas de Le Mans e até no Rally Dakar.

O 911 foi o primeiro automóvel “100% Porsche”, uma vez que os modelos anteriores, as séries 550 e 356, este o primeiro carro da marca, eram basicamente versões esportivas do então VW Fusca alemão.

Lançado no Salão de Frankfurt de 1963, o carro foi sucesso imediato, mas teve de mudar de nome. A Porsche havia apresentado o carro com a alcunha 901, o que a Peugeot protestar. Na época a montadora francesa alegou ter os direitos dos nomes de veículos compostos de três algarismos e um zero no meio. Desta forma, nasceu o 911 que acompanha o modelo até hoje.

Avaliação: Porsche 911 é impecável a 300 km/h

Sempre em constante evolução, o 911 com o tempo ganhou avançados equipamentos eletrônicos, além de ser construído com materiais cada vez mais leves. O carro, no entanto, nunca abandona sua concepção original do motor boxer traseiro. Esse tipo de propulsor, com cilindros contrapostos, e nessa posição garantem ao carro um excepcional equilíbrio com baixo centro de gravidade, uma das principais características do carro ao longo de suas sete gerações.

Quilômetros de história – gerações do 911

O primeiro 911 foi produzido entre 1963 e 1973. A versão inicial tinha 130 cv, mas a cavalaria foi aumentando de forma gradativa com os passar dos anos, chegando até a 210 cv, na versão Carrera RS de 1972, equipado com motor 2.7 litros. Sempre atento a balança, o esportivo nessa geração nunca passou dos 1.000 kg.

A segunda geração do 911 foi a mais longeva de todas e também de qualquer outro carro da Porsche. Sua produção começou em 1973 e foi até 1989 com mais de 100 mil unidades vendidas em todo mundo. Foi com esse carro que a fabricante começou a se preocupar com segurança – ele foi o primeiro Porsche com cinto de três pontos e encosto de cabeça no banco. O modelo ainda é o pioneiro da marca ao ultrapassar a marca de 300 cv, na versão Turbo de 1977 com motor 3.0.

Em contrapartida ao modelo de maior longevidade, a terceira geração do 911 foi a que menos tempo ficou no mercado: menos de cinco anos. Lançado em 1989 e descontinuado em 1993, o modelo trouxe um notável avanço a série. Segundo a marca, esse carro possuía 85% dos componentes renovados em relação a geração anterior. Esse também foi o primeiro carro da Porsche a receber freios ABS, câmbio sequencial, airbags, direção com assistência hidráulica e tração integral.

Na quarta geração o 911 se consolidou com uma reputação que unia bom desempenho com boa confiabilidade mecânica. Foi produzido entre 1993 e 1998 e trouxe inovações como o chassi construído totalmente em alumínio e o primeiro motor biturbo da Porsche. A marca ainda criou nessa linha a versão GT2, praticamente um carro de corrida com licença para circular nas ruas e estradas. Este também foi o último carro da montadora com motor refrigerado a ar.

A grande transformação realizada na quinta geração do 911 foi pautada pelo luxo e o requinte. Foi a mudança mais drástica no visual do carro até então, que o deixou mais sofisticado e com visual ainda mais esportivo. A produção dessa série começou quando o modelo anterior ainda era produzido e seguiu até 2005. Nesse Porsche os principais avanços foram o motor agora arrefecido por água e os freios com discos de cerâmica, material que dissipa o calor da peça com maior eficiência e assim melhora a ação da frenagem.

Na passagem para a sexta geração os avanços foram principalmente mecânicos. Nessa linha os motores do 911 ganharam sistema de injeção direta de gasolina, recurso que poupa combustível ao extrair o máximo de seu potencial enérgico, gerando também mais potência. Outra inovação nessa série foi o lançamento do câmbio PDK, a caixa semi-automática de dupla embreagem da marca alemã, equipamento que torna as trocas de marcha mais rápidas. Esse modelo, produzido de 2004 a 2011, teve um total de 24 versões diferentes.

De tão avançado que ficou na sexta geração, pouco sobrou para a linha atual evoluir. Lançado em 2011, o novo 911 passou a contar com 300 cv desde a versão de entrada, o Carrera, e seu visual foi reformulado de acordo com o primeiro modelo da série, retomando detalhes clássicos do carro antigo.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!