O primeiro fruto da aliança entre os grupos Fiat e Chrysler acaba de tocar seus pneus em solo brasileiro. Desembarcou nas lojas da marca de Betim (MG) o Freemont, a versão da Fiat para o Dodge Journey (para quem não sabe a Dodge pertence a Chrysler, assim como a Jeep). O crossover, o “primeiro” da marca italiana de grande porte, custa a partir de R$ 81.900 na série Emotion com 5 lugares e R$ 86.000 na opção Precision, que conta com sete assentos – há dois bancos rebatíveis no porta-malas.

Fabricado no México, na mesma planta do Journey, o Freemont chega ao Brasil com motor 2.4 16V de 174 cv e torque máximo de 22,4 kgfm, mas só é abastecido com gasolina. Já a transmissão é automática seqüencial de 4 marchas para as duas versões do novo Fiat. Só para constar, o modelo original da Dodge é oferecido por aqui com propulsor 2.7 de 185 cv e começa nos R$ 99.900 na versão SXT.

A caracterização da Fiat no modelo concebido pela marca americana começa pela grade frontal, que foi redesenhada e teve os logotipos trocados. Na traseira a novidade são as lanternas e a terceira luz de freio de leds. No mais, segue igual ao Journey. Ao menos por fora. O interior contém mais esforços dos italianos, mas isso também vai durar pouco no Brasil, pois o Journey 2012 nos Estados Unidos já “copiou” o Fiat.

A lista de equipamentos para Freemont varia pouco entre as versões, que já trazem de fábrica ar-condicionado, volante multifuncional, freios ABS, ESP e seis airbags. Quem quiser um poderá optar ainda entre quatro cores para a carroceria: branco, cinza, prata e preto. A Fiat tem uma meta ambiciosa: quer vender entre 1.000 e 1.500 unidades, um volume equivalente ao que a Hyundai emplaca do ix35, um dos crossovers mais desejados do mercado.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/