Produção de veículos no Brasil pode ser normalizada a partir de abril de 2022

Estimativa foi divulgada pela Fenabrave em coletiva nesta sexta-feira
Fábrica da Chevrolet em São Caetano do Sul (SP)

Fábrica da Chevrolet em São Caetano do Sul (SP) | Imagem: Divulgação

A Fenabrave, entidade que reúne os concessionários brasileiros, divulgou nesta sexta-feira (2) suas novas projeções para o mercado nacional até o fim de 2021, além de comentar assuntos relevantes para o setor no país.

De acordo com a Federação, considerando todas as categorias de veículos (automóveis e comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas e implementos rodoviários) a nova estimativa é de um crescimento de 13,6% do mercado brasileiro em relação ao ano passado, totalizando 3.455.080 unidades. 

Falando especificamente do segmento de automóveis e comerciais leves, a Fenabrave projeta uma alta de 10,7% da categoria neste ano, totalizando 2.159.636 unidades. Em 2020, o volume negociado de automóveis e comerciais leves ficou em 1.950.889 unidades.

Outro ponto importante anunciado por Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave, é que a entidade projeta para o segundo trimestre de 2022, portanto a partir de abril, a retomada dos níveis normais de produção por parte dos fabricantes instalados no Brasil. 

De acordo com Assumpção Júnior, a estimativa surge de contatos da Fenabrave com associações também ligadas ao setor da distribuição nos EUA e Europa, além de acompanhamento das empresas em escala global.

Além da falta de microchips, recentemente o setor automotivo registrou até mesmo desabastecimento de pneus, entre outros componentes. 

Com isso, a produção no Brasil e ao redor do mundo foi gravemente abalada, com fábricas ainda sem operar, como é o caso da unidade da GM em Gravataí (RS), onde são produzidos os Chevrolet Onix e Onix Plus. 

Linha de produção do Onix e do Onix Plus em Gravataí (RS)
Linha de produção do Onix e do Onix Plus em Gravataí (RS): fabricação suspensa por falta de componentes 
Imagem: Divulgação