Ram e Chery podem criar uma nova classe entre as picapes médias

Fabricantes deverão apostar em estruturas diferenciadas para seus futuros utilitários
Projeção de Kleber Silva para a picape derivada do projeto Tiggo PUP

Projeção de Kleber Silva para a picape derivada do projeto Tiggo PUP | Imagem: Kleber Silva/KDesign AG

Alguns padrões vão sendo estabelecidos ao longo dos anos e raramente são trocados. No universo das picapes médias, por exemplo, a tradicional combinação da estrutura robusta formada pelo chassi convencional oferecendo suporte à carroceria, bem como as suspensões por eixo rígido, são particularidades que dão o tom a esses veículos.

Ao que tudo indica, muitas fabricantes seguirão apostando nessa receita para suas representantes na categoria. As novas Ford Ranger e VW Amarok, que estão sendo desenvolvidas de forma conjunta, vão preservar a estrutura básica convencional, algo que também deverá ocorrer na próxima geração da Chevrolet S10 nacional.

Duas empresas, contudo, poderão apostar em um caminho diferente.

Como já relatamos aqui no AUTOO, são cada vez mais fortes as possibilidades da Stellantis atuar na categoria de picapes médias aqui no Brasil com um produto desenvolvido sob a chancela da marca Ram.

Seu grande apelo pode residir, de acordo com apurações preliminares, na estrutura monobloco, um diferencial importante e que confere qualidade de rodar e nível de conforto superiores.

As evoluções constantes dos materiais (aços e seus diversos tipos de conformação), além dos processos de produção, já permitem que modelos monobloco apresentem nível de robustez equivalente ao de um veículo com chassi convencional. A Fiat Toro, que pode transportar até 1 tonelada em sua caçamba e oferece opções 4x4, é um bom exemplo.

Picape Tiggo

Quem pode seguir um caminho parecido é a Chery, de acordo com apurações do site sul-africano IOL.

A fabricante chinesa anunciou seu retorno ao país e deixou escapar uma informação relevante. Trata-se do projeto “Tiggo PUP”, uma futura picape baseada na gama de SUVs da companhia.

Detalhes sobre a novidade ainda são escassos, mas acredita-se que a Chery deverá tomar como base a estrutura de seus utilitários esportivo de maior porte para desenvolver uma picape com capacidade de carga de pelo menos 1 tonelada.

Resta saber se o projeto Tiggo PUP contemplaria um modelo nos moldes de Fiat Toro, Ford Maverick, entre outras, ou seguiria uma linha mais próxima a de uma picape média convencional.

Projeção de Kleber Silva para o interior da futura picape baseada na gama Chery Tiggo
Projeção de Kleber Silva para o interior da futura picape baseada na gama Chery Tiggo
Imagem: Kleber Silva/KDesign AG

A previsão é que a novidade deverá estrear por volta de 2023 e, sem dúvida, é um projeto para acompanharmos de perto.

Com unidades produtivas em Anápolis (GO) e Jacareí (SP), uma eventual picape derivada da linha Tiggo seria algo muito interessante para a CAOA Chery produzir localmente.

Em paralelo, a aguardada representante da Ram também deverá ter sua produção regionalizada no Brasil ou Argentina, dois grandes consumidores de modelos do tipo.

Logo, se as duas novidades saírem do papel e, de fato, chegarem ao mercado brasileiro, veremos a criação de uma nova classe entre as picapes médias, o que é ótimo para a concorrência e o poder de escolha dos consumidores. 

Projeção de Kleber Silva para a picape derivada do projeto Tiggo PUP
Projeção de Kleber Silva para a picape derivada do projeto Tiggo PUP
Imagem: Kleber Silva/KDesign AG