A Renault apresentou na noite desta segunda-feira (19) em Niterói (RJ) aquela que deverá ser a configuração mais procurada do Captur daqui para frente, respondendo por 60% das vendas. Trata-se das variantes equipadas com o motor 1.6 SCe trabalhando em conjunto com a caixa automática X-Tronic, a mesma presente no Nissan Kicks porém com uma calibração ao gosto da marca francesa. Vale lembrar que a Renault e a Nissan formam uma aliança global, logo o compartilhamento de componentes entre as fabricantes é mais do que esperado.  

Conforme anunciado na época do lançamento do Captur, o conjunto formado pelo motor 1.6 SCe e o câmbio automático CVT estará disponível nas versões Zen e Intense, tabeladas, respectivamente, em R$ 84.900 e R$ 88.400. Apesar do preço maior, a versão Intense 1.6 CVT deverá responder a partir de agora por 50% do mix de vendas do Renault Captur, sendo que a Zen 1.6 CVT ficará com outros 10%. As atuais Zen 1.6 manual e a Intense 2.0 automática 4 marchas ficarão com 20% cada uma.

Assim como ocorre no Captur manual, o motor 1.6 16V SCe presente nas versões CVT entrega até 120 cv com etanol a 5.500 rpm e 16,2 kgfm de torque a 4.000 rpm independente do combustível. Uma característica interessante da transmissão CVT é que ela oferecerá a opção de trocas sequenciais por meio de 6 “marchas virtuais” criadas pela transmissão.

Bem equipado de série, o Renault Captur Zen 1.6 CVT sai de fábrica com os importantes controles de tração e estabilidade, 4 airbags, rodas de liga leve aro 17”, ar-condicionado, direção eletro-hidráulica, rádio com Bluetooth e entradas USB e auxiliar, sensor de estacionamento, controlador de velocidade de cruzeiro, chave presencial com partida por botão, dentre outros itens. A opção Intense 1.6 CVT, por sua vez, acrescenta a central multimídia com navegador e câmera de ré, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis e o acabamento diamantado para as rodas de liga leve aro 17”.

É possível colocar o revestimento interno de couro no Captur Intense por mais R$ 1.500 e optar pela pintura com o teto contrastante (dois tons) por um adicional de R$ 1.400. Segundo a Renault, cerca de 85% dos compradores do Captur escolhem o opcional do teto com visual diferenciado do restante da carroceria.  

“Nossa meta com a chegada das versões CVT é mais do que dobrar as vendas do Captur. Hoje entre os SUVs compactos o câmbio automático responde por cerca de 90% das vendas, então quanto mais opções com esse tipo de transmissão apresentarmos para os consumidores, melhor”, comentou Federico Goyret, diretor de marketing da Renault. Como você pode conferir em nosso ranking de vendas, o Captur ainda não decolou nas vendas, figurando em 10º lugar dentro da categoria levando em conta o acumulado de janeiro a maio deste ano. Vamos ver se, como prevê o executivo, a chegada da caixa CVT dará mais fôlego ao Renault Captur.

O AUTOO está presente no lançamento do Captur CVT e traz para você um teste completo do modelo na próxima quarta-feira (21). 

 
 
Renault Captur 2018
 
Renault Captur 2018
Renault Captur 2018
Renault Captur 2018
 
Renault Captur 2018
Renault Captur 2018
Renault Captur 2018
 
Renault Captur 2018
Renault Captur 2018
Renault Captur 2018
 
Renault Captur 2018
Renault Captur 2018
 
 
César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/