Risco de fatalidade é maior em acidentes com carros compactos, revela estudo

Levantamento nos EUA aponta que veículos pequenos tiveram uma taxa de fatalidade em acidentes maior que a dos grandes
Acidente

Acidente | Imagem: Reprodução internet

Um levantamento do Instituto das Seguradoras para Segurança Viária (IIHS) dos EUA gerou um resultado que pode ser alarmante. O estudo apontou que os carros pequenos podem ser os mais mortais em circulação atualmente no território norte-americano. De acordo com a organização, dos 20 carros com a maior taxa de fatalidades geradas por acidentes, 15 deles eram compactos ou subcompactos. Os dados levam em conta carros com ano modelo até 2017.

Focando especificamente dos subcompactos, o levantamento da IIHS apurou que esse tipo de veículo tem uma taxa de fatalidade média de 82 mortes por milhão de veículos registrados em tal categoria. Em comparação, a taxa de fatalidade dos SUVs de grande porte nos EUA é de 15 mortes por milhão de veículos registrados em média.

Apesar de a categoria de carros compactos ou subcompactos ser mais fatal que as demais, o estudo revelou que alguns modelos são menos “mortais” que outros. O Volkswagen Golf, por exemplo, é considerado compacto por lá e a sua taxa de mortalidade foi de 0 mortes por milhão. Já a taxa do Ford Fiesta foi de 141 mortes por milhão. Na outra ponta deste espectro, grandalhões como o GMC Yukon XL 1500 e o Infiniti QX60 mostraram uma taxa de 0 mortes por milhão.

O estudo levou em consideração apenas as mortes de motoristas nos veículos. Não foram contadas fatalidades de passageiros ou pedestres, assim como o estudo não vai a fundo nos motivos que levaram a tais acidentes. Segundo a IIHS, os carros menores podem ter uma mortalidade maior primeiramente por terem menos massa e sofrerem mais com impactos, principalmente contra veículos maiores como é o caso nos EUA. Além disso, sendo mais baratos, oferecem apenas sistemas de segurança básicos.

Novo Cobalt com sistema OnStar após uma colisão
Além do tamanho menor, carros compactos podem oferecer menos recursos de segurança
Imagem: Divulgação
Assine a newsletter semanal do AUTOO!