Ao que tudo indica os grandes salões automotivos terão mesmo que se reinventar em um futuro próximo. O Salão de Detroit, que tradicionalmente ocorre neste mês, vai mudar de data em 2020 em uma tentativa de ficar mais atrativo para o público, saindo do frio intenso do inverno norte-americano para temperaturas bem mais aprazíveis do meio do ano. Fato é que o tradicional salão norte-americano, mostra que inaugura o calendário das principais exibições automotivas ao redor do mundo, está perdendo grande parte de sua força ao longo dos anos.

Neste ano, por exemplo, os organizadores do NAIAS 2019, como é conhecido pela sigla em inglês, esperam ao menos 30 lançamentos neste ano, uma notável redução em relação aos 70 registrados em 2018. Neste ano o Salão de Detroit também viu algumas marcas relevantes como a Mercedes-Benz, Audi e BMW optarem por não exibir seus modelos por lá.

Com isso, tirando alguns modelos destinados majoritariamente para os EUA, a nova geração do Ford Explorer pode ser apontada como um dos modelos de maior apelo revelados em Detroit este ano.

Inaugurando sua sexta geração, o Ford Explorer traz um projeto todo novo, incluindo uma nova plataforma da marca para modelos com tração traseira. A arquitetura, nas palavras da Ford, colabora em especial com o espaço interno para os ocupantes, que se tornou bem mais generoso e permite acomodar até mesmo os passageiros da terceira fileira de assentos com bem mais conforto.

Com uma proposta mais “aventureira” dentro da categoria, ou seja, o Explorer prima por ser um modelo capaz de encarar algumas situações no uso off-road e não é apenas um crossover urbano, o modelo em sua nova geração um novo sistema de tração integral chamado Terrain Management System, que permite uma fácil e rápida seleção entre sete tipos de piso diferentes para otimizar as respostas do carro.

Sob o capô, o Ford Explorer 2020 terá como opções os motores 2.3 de 4 cilindros e o 3.0 V6, ambos da família EcoBoost, portanto com turbo e injeção direta de combustível. O modelo também recebe a opção do câmbio automático de 10 marchas, a terceira geração da central multimídia Sync, sistema de Wi-Fi a bordo que suporta até 10 aparelhos, entre outros.

No campo da tecnologia, o Explorer 2020 também recebe os principais assistentes de condução, além de itens de conforto e segurança, com destaque para o assistente de estacionamento mais avançado, que, além de retirar do motorista a necessidade de controlar o volante, agora também não exige que o condutor controle os pedais de freio e acelerador. O SUV também conta com controlador de velocidade adaptativo, sistema de reconhecimento de placas com limites de velocidade, além do pacote composto pelo Ford Co-Pilot360, que engloba o alerta de colisão com frenagem automática de emergência, alerta de ponto cego nos retrovisores, assistente de permanência em faixa, câmera de ré e farol com acendimento e comutação para o facho alto automáticos.

Lançado em 1991 nos EUA, o Ford Explorer é apontado pela marca como o SUV mais vendido no país ao somarmos as cinco gerações que o modelo registra até o momento. O Explorer já foi oferecido no Brasil de 1993 até 2006, período que compreende três gerações do modelo. Pelo alto nível do projeto atual e o custo mais elevado, não deveremos ver o modelo em nossas ruas a não ser por importações independentes.  

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/