Discriminado no passado, o câmbio automático ganha cada vez mais adeptos no Brasil. Seja por conta da utilidade nos gigantescos e cansativos congestionamentos das grandes cidades ou, então, pela evolução que apresentaram nos últimos anos, as transmissões automáticas passaram a ser item de desejo do consumidor.

E já fazem parte da realidade de modelos mais baratos. Fiat, Volkswagen e Chevrolet, por exemplo, optaram pelo tipo automatizado em que o trabalho da embreagem é feito por um sistema automático. Por serem mais simples custam menos, em torno de R$ 2.500. Já a Honda, Peugeot e Citroën optaram pelo modelo automático que usa conversor de torque em vez de embreagem, que são mais caros, mas sem trancos, comuns aos automatizados.

É o mesmo sistema escolhido pela Renault, que acaba de lançar o Sandero automático. O hatch passa a contar com uma transmissão de quatro marchas e opção sequencial, recurso que permite ao motorista escolher a marcha adequada quando desejado.

Logan é o próximo

Disponível apenas na versão Privilège, topo de linha, o Sandero automático custa R$ 43.900, ou R$ 3.500 a mais que o manual. Além da opção sequencial, o câmbio também possui a função “kick-down”, que acelera as trocas de marcha caso o motorista pise até o fundo no acelerador.

Segundo apurou o AUTOO, o sedã Logan será o próximo a receber a versão automática, nos próximos meses.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/