Sempre é bom noticiar práticas que colaboram para o meio-ambiente e, de uma forma sustentável, aproveitam materiais que em muitos casos seriam apenas lixo. Um bom exemplo diz respeito às garrafas plásticas usadas como recipientes para sucos, refrigerantes, entre outros.

Uma notável lição sobre o que fazer com o material chega da Ford. A marca revela que atualmente já recicla mais de 1,2 bilhão de garrafas PET ao ano, usando o material obtido em diversos componentes automotivos presentes nos mais diversos veículos da gama.

“O processo para transformar plástico em tapetes e carpetes começa com a fragmentação das garrafas e tampas em pequenos flocos. Depois, em empresas especializadas, eles são fundidos a 260°C e extrudados em fibras com a espessura de um fio de cabelo. Essas fibras são então combinadas com outras e passam por um processo têxtil, formando o material que dá origem ao carpete”, explica a Ford em comunicado.

A fabricante acrescenta que todos os tapetes e carpetes dos veículos da Ford produzidos no Brasil contêm PET reciclado. O trabalho realizado nos laboratórios globais da marca para desenvolver melhores materiais, tanto em termos de durabilidade como de impacto ambiental, é complementado por pesquisas locais de matérias-primas de origem natural. Um exemplo é a fibra de juta, que graças a um projeto pioneiro foi adicionada ao polipropileno no compósito usado na fabricação da tampa do porta-malas do Ka, com ganhos de resistência, redução de peso e sustentabilidade.

Um dado interessante é que cada EcoSport traz o equivalente a 470 garrafas plásticas em material reciclado na forma de tapetes e carpetes. Desde o lançamento da última atualização do utilitário esportivo, em 2012, mais de 650 milhões de garrafas já foram recicladas para esse fim. Se enfileiradas, essas garrafas dariam duas voltas ao redor do mundo, pesando mais de 8.000 toneladas, destaca a Ford.  

 
César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/