Tesla negocia sistema de carro autônomo com o Google

Gigante da internet já criou um aparato para guiar automóveis sem motorista

Google Self Drive Car | Imagem: Google

O sistema de condução autônoma criado pelo Google está despertando o interesse de montadoras de olho no futuro da mobilidade. Elon Musk, CEO da Tesla Motors, fabricante norte-americana de automóveis 100% elétricos, é um dos interessados na tecnologia da empresa gigante da internet. “Eu gosto do termo ‘piloto automático’, mais do que ‘auto-condução’, que soa como se o carro fosse fazer algo que você não quer que ele faça. O piloto automático é uma ótima ideia para se ter em aviões, e devemos tê-lo também nos carros”, contou o executivo a agência Bloomberg.

Por isso Musk negocia com o Google a aplicação da tecnologia do carro autônomo para próximos projetos da Tesla. O CEO, porém, acredita que o alto valor do sistema, de mais de US$ 100 mil (cerca de R$ 201 mil), ainda é um elemento impeditivo, em especial para uma montadora que ainda batalha para conseguir praticar preços competitivos – o principal carro da marca custa atualmente US$ 69.900, aproximadamente R$ 140 mil.

infográfico: Como funciona o carro que dirige sozinho criado pelo Google

Segundo o Google, o sistema deve chegar às ruas aplicado em veículos de diversas montadoras em cerca de cinco anos. Para Musk, o sistema ainda é muito complexo, por isso é caro e praticamente inviável. Segundo o executivo, uma forma de baratear o equipamento seria simplificá-lo. “O maior problema hoje é que o sistema de sensor do Google ainda é muito caro. É melhor ter um sistema óptico, basicamente a partir de câmeras com um software que seja capaz de detectar o que está acontecendo apenas olhando para as coisas ao redor do carro”, enfatizou.

A Tesla não é a única na “cola” do Google para viabilizar o automóvel que dirige sozinho. A Nissan também planeja entrar no mundo dos carros autônomos até 2020.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!