Toyota abraça os carros elétricos e adota uma nova estratégia global

Japonesa vai promover uma grande investida nos modelos com propulsão limpa; Brasil também será beneficiado
Toyota Mirai

Toyota Mirai | Imagem: Divulgação

Antes vistos com muita resistência pela marca, ao alegar que eles eram produtos caros demais, custosos para serem fabricados e com uma autonomia muito limitada, a Toyota finalmente resolveu abraçar o futuro com os carros movidos a eletricidade e, para isso, revelou uma estratégia ousada para se posicionar em pé de igualdade com outras montadoras que estão investindo a mais tempo na área, como a conterrânea Nissan.

Tudo será realizado em um prazo até que relativamente curto falando em termos da indústria automobilística. Para causar um bom impacto, a Toyota já quer começar a próxima década oferecendo ao menos 10 automóveis com propulsão elétrica, que chegarão em primeiro lugar ao mercado chinês e logo depois ao Japão, Índia, Estados Unidos e Europa.

Em um segundo passo, a Toyota formalizou que até 2025 toda a sua gama de modelos, bem como a gama Lexus, será eletrificada de alguma forma ou terá esse tipo de propulsão oferecido na linha. Por eletrificação, a Toyota contempla variantes como os híbridos, híbridos plug-in, modelos 100% elétricos e até mesmo movidos a célula de combustível.

Com isso, a Toyota espera chegar em 2030 com 5,5 milhões de veículos eletrificados emplados ao redor do mundo, sendo que desse total aproximadamente 1 milhão serão totalmente elétricos ou com a eletricidade obtida por meio de células de combustível.

Muitas evoluções recentes fizeram com que a Toyota revesse sua postura envolvendo os carros elétricos, inclusive uma recente parceria firmada com a Panasonic para melhorar a capacidade das baterias e reduzir os custos dos automóveis elétricos de maneira geral. A fabricante aproveitou o anúncio de sua nova estratégia global para declarar que vai comercializar baterias com uma tecnologia mais eficiente a partir de 2020.

Aqui no Brasil, por sua vez, essa nova estratégia da Toyota poderá refletir em um de seus modelos mais queridos por aqui, o Corolla. Já se comenta nos bastidores que a próxima geração do sedã, esperada para 2019, conte com uma variante híbrida que também será oferecida no Brasil. Ela deverá ser beneficiada pela evolução do sistema híbrido da marca (Toyota Hybrid System II), que já é oferecido no Prius comercializado em nosso país.

O fato do Corolla 2019 passar a ser construído sobre a nova plataforma TNGA, que inaugurou na geração mais recente do Prius, também vai ajudar na oferta da nova versão do modelo.

Um dos problemas para a maior difusão de carros elétrico, sobretudo no Brasil, diz respeito a escassa rede de infraestrutura para o carregamento dos modelos. Não se sabe se o posicionamento valerá também para o Brasil, mas a Toyota declaro que também “visa concentrar-se no desenvolvimento de uma infraestrutura social adequada para a adoção de veículos eletrificados. Isso inclui a criação de um sistema para tornar a reutilização e a reciclagem de baterias mais eficaz, auxílio para promover o uso de estações de recarga de veículos plug-in e o reabastecimento de hidrogênio por meio de uma cooperação e colaboração com autoridades públicas e empresas parceiras”.

Montadora que conta com um retrospecto de ousadias no campo da propulsão automotiva, a Toyota tornou os carros híbridos uma realidade viável com o lançamento da primeira geração do Prius há 20 anos. O modelo também foi o primeiro híbrido plug-in do mundo, tecnologia que permite carregar as baterias do carro em uma tomada convencional para melhorar a autonomia em modo elétrico, com a variante Prius PHV lançada em 2012.

Atualmente o Prius é comercializado no Brasil em sua variante híbrida convencional. O modelo é tabelado em R$ 126.600 e ocupa o posto de carro mais econômico do Brasil de acordo com o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!