A barreira dos R$ 100.000 é algo sensível quando falamos no mercado automotivo. Ir além dos seis dígitos no preço coloca qualquer automóvel em um patamar mais elevado e exige, obviamente, que ele entregue um nível técnico coerente com o valor.

Para ganhar mais competitividade no segmento de sedãs médios, contudo, a Volkswagen de uma forma bem discreta, “lançando” a nova versão de surpresa no configurador de seu site comercial, passa a oferecer uma nova opção de entrada para o Jetta no Brasil.

Classificada apenas como 250 TSI, a nova versão, assim como o restante da gama, também é movida pelo motor 1.4 TSI flex e conta com câmbio automático de 6 marchas. A grande novidade, pelo menos em termos de estratégia comercial, é que ela chega ao mercado por R$ 99.990. 

As demais versões que estrearam a nova geração do Jetta por aqui seguem em linha, no caso a intermediária Comfortline (R$ 109.990) e a topo de linha R-Line (R$ 119.990).

A diferença do novo Jetta 250 TSI para o Comfortline é que a versão mais acessível perde alguns equipamentos. Na nova versão de entrada, as rodas de liga leve contam com aro 16” (aro 17” no Comfortline), os bancos recebem revestimento de tecido (couro no Comfortline) e o sistema de som no Jetta mais acessível conta com 4 alto-falantes, portanto dois a menos do que no Jetta Comfortline. Você pode conferir as fotos do novo Jetta 250 TSI clicando na foto principal acima e acessando a galeria.  

O Jetta 250 TSI de entrada também conta com uma central multimídia mais simples, que oferece apenas os principais sistemas de espelhamento para smartphones, enquanto o Jetta Comfortline recebe uma central multimídia mais completa, com navegador integrado e câmera de ré. 

Vale a pena a escolha?

Pela diferença de preço de R$ 10.000 entre o novo Jetta 250 TSI de entrada e o Jetta Comfortline, não vale a pena optar pela versão mais barata.

O novo Jetta básico não oferece itens muito valorizados, como o revestimento interno de couro, por exemplo, e até mesmo o sistema de chave presencial. Isso signfica que, olhando para o médio prazo, você terá uma configuração com liquidez menor e provavelmente com uma desvalorização um pouco maior em relação às demais versões.

Para valer a pena, o Jetta 250 TSI deveria contar com um preço bem menor em relação ao Comfortline. Na faixa de preço em que o Jetta atua, só valeria a pena optar por um catálogo muito “pelado” se a contrapartida financeira fosse justificável.

Mesmo com a chegada da nova geração, as vendas do Jetta não registraram um aumento significativo. Em novembro, por exemplo, 387 unidades do modelo foram emplacadas. No mesmo mês, o Nissan Sentra foi a escolha de 447 consumidores, enquanto o líder em vendas do segmento, o Toyota Corolla emplacou 5.023 unidades no período. 

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/