O que acontece com um protótipo, depois de sua apresentação num salão? Nada, na maioria dos casos. Alguns, no entanto, emprestam seu visual revolucionário de maneira mais comedida a carros que ganharão as ruas mais tarde. E algumas exceções vão além: empregam tecnologias de vanguarda em futuros modelos de produção.

É o caso do SCC, apresentado pela Volvo em 2001. É nele, inegavelmente, que o C30 se inspira. Porém, mais importante do que influenciar no desenho do charmoso hatch, o SCC faz jus à sua sigla, Safety Concept Car, ao empregar nos carros da marca sueca tecnologias pioneiras.

A Volvo celebra agora os 10 anos do SSC e relembra algumas inovações apresentadas pelo conceito que hoje estão presentes nos seus veículos. São elas: aviso de colisão à frente (que hoje inclui o detector de pedestres), informações projetadas no para-brisa (mais conhecido como head-up display), detector de ponto-cego nos retrovisores, sistema de alerta para o risco de sair da faixa, controlador de velocidade que mantém distância do carro da frente e acionamento intermitente das luzes de freio em frenagens de emergência, só para citar as principais.

O Volvo C30, baseado no SSC, estreou no Salão de Paris de 2006.

Rodrigo Mora

|