Além do motor 1.4 TSI do VW Golf, veja outros 7 que podem sumir das lojas em breve

Algumas variantes flex e turbinadas também estão com os dias contados por causa das novas normas de emissões
Motor VW 1.4 turboflex

Motor VW 1.4 turboflex | Imagem: Divulgação

Na busca por buscar motores cada vez menos poluentes e atender cada vez mais as exigentes fases do Programa de Controle de Emissões Veiculares (Proconve), vale de tudo, até mesmo tirar de circulação um veículo que vende bem por aqui. 

VEJA TAMBÉM:

Atualmente a sétima fase da legislação do programa (Proconve L7), em vigor desde o dia 1° de janeiro de 2022 permite que os motores de carros de passeio emitam no máximo 80 mg/km de Nmog + Nox (gases orgânicos não metanos + óxidos de nitrogênio) de emissões.

A próxima fase do programa, a Proconve L8, previsto para o início de 2025 vai reduzir para 50 mg/km o limite de emissões de poluentes. Já a partir de 2027, cairá 40 mg/km e, em 2029, para 30 mg/km.

A corrida já começou e por aqui a aposta deverá recair para os híbridos flex, a exemplo do que ocorre com a dupla Toyota Corolla e Corolla Cross. Os próximos deverão ser o grupo Stellantis e a GWM que já confirmaram a nova tecnologia híbrida flex.

Enquanto isso, os motores mais antigos e poluentes deverão ter a morte decretada. Confira alguns que pode sair em breve de circulação;

1- Chevrolet 1.4 Ecotec turbo

Motor GM 1.4 turbo
Motor GM 1.4 turboflex, que equipa do Cruze, logo deverá sair de cena, já que o modelo já saiu de linha
Imagem: Divulgação

Com o fim da linha Cruze que deverá acontecer num breve momento, o motor 1.4 Ecotec turboflex de 153/150 cv de potência e 24,5/24 kgfm de torque deverá morrer de vez também. 

Esta unidade chegou a equipar o SUV Tracker a partir de 2016 como linha 2017.

2- Fiat 1.0 Fire

Motor Fiat 1.0 Fire Evo
Motor Fiat 1.0 Fire Evo ainda equipa o Mobi e já passou por algumas novas calibrações
Imagem: Divulgação

O motor 1.0 Fire de 55 cv surgiu em 2001 quando a Fiat o incorporou no Mille Smart. Esta unidade aposentou o antigo Fiasa e agora é ele que está com os dias contados. Hoje o motor está presente no Mobi, mas deve ser substituído pelo tricilíndrico 1.0 Firefly 6V que já equipa o trio Citroën C3, Fiat Argo e Peugeot 208.

3- Fiat 1.4 Fire

Motor Fiat 1.4 Evo
Motor Fiat 1.4 Evo deverá ser substituído pelo 1.3 Firefly, que é bem mais moderno e eficiente
Imagem: Divulgação

Outro veterano da Fiat, este propulsor flexível 1.4 Fire (81/80 cv) equipou a linha 2006 das versões mais caras do Palio, Siena e Palio Weekend, e também a picape Fiat Strada Fire, com cabine curta e cabine estendida, em substituição ao 1.3 Fire. 

Atualmente sobrevive nos furgões comerciais Fiat Fiorino e Peugeot Partner Rapid, porém não deve demorar para a Stellantis retirá-lo de circulação.

4- Hyundai 1.6 Gamma

Motor Hyundai 1.6 aspirado
Motor Hyundai 1.6 aspirado está sendo substituído aos poucos pelo 1.0 turboflex, com injeção direta
Imagem: Divulgação

O Creta é oferecido com duas carrocerias, a antiga com motor Gamma 1.6 16V flex (130/123 cv), e a Nova Geração com propulsores Kappa 1.0 Turbo GDI Flex (120/120 cv) e SmartStream 2.0 (167/157 cv). Com as novas normas de emissões entrando em vigor, a antiga geração deverá ter a sua morte decretada junto ao motor 1.6 e 2.0.

5- Hyundai 2.0 Nu

Motor Hyundai 2.0
Motor Hyundai 2.0 também está saindo  de cena, dando lugar aos motores mais eficientes
Imagem: Divulgação

Falando nele, o propulsor SmartStream 2.0 (167/157 cv) já citado anteriormente é outro que está prestes a ser extinguido da Hyundai. Com o fim dele, é possível que a Hyundai mantenha o Kappa 1.0 Turbo GDI Flex (120/120 cv) para as demais versões do SUV Creta visando.

6-Peugeot-Citroën 1.6 16V EC5

Motor Peugeot 1.6
Motor Peugeot 1.6 foi um dos primeiros flex sem o tanquinho de partida a frio, mas logo sairá de linha
Imagem: Divulgação

O veterano EC5 1.6 16V estreou no início dos anos 2000 na linha Citroën Xsara, mas que sobrevive no crossover C4 Cactus e C3, além do Peugeot 208.

Como está há muito tempo no mercado, o mais lógico é a sua saída para dar lugar aos cada vez mais presentes motores turbo-alimentados de menor cilindrada como, por exemplo, o 1.0 Turbo 200, já presente na linha Pulse da Fiat.

7- Peugeot-Citroën 1.6 THP

Motor 1.6 THP
Motor 1.6 THP tem bom desempenho, mas vai ficar difícil conseguir atender ás normas de emissões
Imagem: Divulgação

O motor turbo 1.6 THP desenvolvido pela PSA - antes de se integrar ao grupo Stellantis - em conjunto com a BMW em meados dos anos 2000 foi um marco para as empresas Peugeot e Citroën. Hoje está presente apenas no Citroën C4 Cactus na versão nacionalizada flexível (173/166 cv) e que apesar do ótimo desempenho deverá sair de linha até o fim deste ano.

8- Volkswagen 1.4 TSI

Motor VW 1.4 TSi
Motor VW 1.4 TSi tem uma série de qualidades, mas logo dará lugar ao novo 1.5 turboflex híbrido leve
Imagem: Divulgação

Ele fez fama e até foi premiado por nove vezes consecutivas como o ”Engine of the Year" (motor do ano) na categoria entre 1 e 1,4 litro, mas, seus dias de glória estão contados.

O motor 1.4 TSI surgiu em 2013 na sétima geração do Golf e mais tarde equipou os veículos T-Cross, Polo, Jetta, Taos, Nivus além dos modelos da Audi (A1, A3 e Q3). É possível que ele dê lugar ao 1.5 TSI Evo2 da mesma família EA211.

Siga o AUTOO nas redes: WhatsApp | LinkedIn | Youtube | Facebook | Twitter

 

 

 

Motor VW 1.4 turboflex

Motor VW 1.4 turboflex

Motor GM 1.4 turbo

Motor GM 1.4 turbo

Recomendados por AUTOO

Youtube
Nova Chevrolet Spin 2025

Nova Chevrolet Spin 2025

Minivan renovada quer fazer frente aos quase SUVs do mercado
Aviação
Argentina terá caças F-16

Argentina terá caças F-16

Jato supersônico é rival do Saab Gripen, da Força Aérea Brasileira. Veja quantos aviões nossos vizinhos compraram
AUTOO
Siga o AUTOO em nosso canal no WhatsApp

Siga o AUTOO em nosso canal no WhatsApp

Acompanhe as notícias sobre automóveis do site de forma mais rápida e prática!