Sempre acompanhando de perto as tendências do segmento, após notar uma procura cada vez menor por parte dos consumidores de picapes médias com motorização flex – retirando essa oferta do catálogo – a Ford promoveu recentemente mais uma medida muito acertada no portfólio da gama Ranger.

Estamos falando da nova versão Storm, lançada em março deste ano, que tornou-se a mais acessível da picape a oferecer a motorização 3.2 turbodiesel. Atributo de destaque na Ford Ranger, o competente motor 5 cilindros oferece 200 cv de potência e 47,9 kgfm de torque, números que conferem boas acelerações e retomadas para a picape (lembrem-se que estamos falando de um veículo de 2.230 kg) e facilitam consideravelmente o reboque ou transporte de objetos mais pesados na caçamba.

E é exatamente esse fôlego extra que muita gente espera encontrar em uma picape média ou em um veículo capaz de encarar situações mais desafiadoras no off-road. Antes do lançamento da Ranger Storm, era necessário gastar R$ 189.490 na versão XLT para estacionar na garagem de casa uma Ranger com o motor 3.2 ou ultrapassar de vez a barreira dos R$ 200 mil e partir para a configuração topo de linha Limited (R$ 205.990).

Muito bem equipada e oferecendo recursos avançados como o piloto automático adaptativo, alerta de colisão, assistente de permanência em faixa, entre outros, a Ranger Limited de certa forma justifica seu preço elevado, em especial para um perfil de consumidor que valoriza tecnologia e eletrônica embarcada.

A ótima sacada da Ford, contudo, foi olhar também para um outro tipo de cliente, que valoriza muito mais os atributos técnicos e mecânicos do que itens, digamos assim, sofisticados. Com isso, a Ranger Storm chegou ao mercado por R$ 155.990, exatos R$ 50.000 a menos que a versão Limited. Como já citamos, ela preserva o motor 3.2 turbodiesel sob o capô, além de trazer o câmbio automático de 6 marchas e o sistema de tração 4x4 com reduzida.

 

A Ranger Storm, é bom que se diga, está longe de ser básica ou abrir mão de recursos importantes de segurança, conforto e tecnologia, ostentando uma lista de equipamentos de série muito bem pensada. Figuram nela os 7 airbags, controles de tração e estabilidade (AdvanceTrac), central multimídia com câmera de ré, sensor de estacionamento, piloto automático, ar-condicionado automático digital com duas zonas, entre outros. Os fãs de off-road ainda contam com o reforço do bloqueio eletrônico do diferencial traseiro e a Ford também oferecerá como acessório um interessante snorkel com a qualidade de montagem que se espera de um item homologado pela montadora. Aliás, o visual da peça combina muito bem com o estilo mais agressivo e robusto da Ranger Storm, que é realçado pelos alargadores de paralamas, estibos tipo plataforma, santantônio exclusivo da versão, além do conjunto formado pelas rodas de liga leve aro 17”, maçanetas, retrovisores e molduras externas pintados na cor preta.

Segundo dados oficiais, a Ranger Storm tem uma capacidade de imersão em água de 80 cm, consegue transportar até 1.040 kg em sua caçamba ou tracionar 5.950 kg. Beneficiam também a picape a boa altura em relação ao solo (232 mm), bem como os ângulos de ataque (28º) e saída (27º).

É curioso destacar que o custo-benefício da Ranger Storm chega a ser até melhor do que as versões 2.2 turbodiesel. Hoje em dia, por exemplo, a Ranger XLS com o motor em questão, tração 4x4 e câmbio automático tem preço sugerido de R$ 165.790. Com isso, ela chega ao mercado mais cara do que a Ranger Storm, mesmo oferecendo motor de menor deslocamento e sequer mais equipamentos de série. A princípio isso pode parecer um contrassenso, mas é importante lembrarmos que nem todos fazem questão do desempenho vigoroso do propulsor 3.2.

Nessa linha de raciocínio, o consumo é um bom exemplo. A Ranger 2.2 automática 4x4 entrega médias oficiais de 9 km/l na cidade e 10,4 km/l na estrada, números que caem para 8,4 e 9,4, respectivamente, no caso da Ranger Storm. A picape com motor 3.2, porém, vai de 0 a 100 km/h em cerca de 11,5 segundos, enquanto a variante 2.2 automática 4x4 precisa de 15 segundos para executar a mesma prova. Portanto, quem deseja um menor gasto com combustível e está mais atento ao custo de propriedade, tem no motor 2.2 uma escolha coerente.

Em resumo, a recém-lançada Ranger Storm prova que a atual geração da picape atingiu aquele interessante momento em que o projeto de um veículo torna-se maduro. Ao democratizar o propulsor mais potente da gama, trazer um bom conteúdo de conforto e segurança e um visual que atende em cheio o que muitos consumidores de picapes esperam encontrar em um utilitário desse tipo, a Ranger Storm destaca-se como uma das compras mais interessantes hoje em dia tanto dentro da gama Ford como no segmento em geral. Uma excelente aquisição enquanto aguardamos a próxima geração prevista para 2022... 

 
 
Ford Ranger 2020
 
Ford Ranger 2020
Ford Ranger 2020
Ford Ranger 2020
 
Ford Ranger 2020
Ford Ranger 2020
Ford Ranger 2020
 
Ford Ranger 2020
Ford Ranger 2020
Ford Ranger 2020
 
Ford Ranger 2020
Ford Ranger 2020
Ford Ranger 2020
 
Ford Ranger 2020
Ford Ranger 2020
 
 

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/