Audi quer produzir no Brasil, mas cobra clareza do governo

CEO da marca alemã diz que as leis brasileiras que regem o Inovar-Auto são confusas

Novo Audi A3 Sportback | Imagem: Divulgação

Durante cerimônia do início da construção da primeira fábrica da Audi no México, Rupert Stadler, CEO da marca alemã declarou ao site Automotive News que a montadora não voltará a produzir no Brasil até que o governo esclareça as leis que regem o Inovar-Auto, programa de incentivos a produção nacional.  

"Ainda estamose estudando alguns detalhes, mas nem mesmo o governo brasileiro tem seus critérios claros e sabe dizer quais peças eles querem para que o veículo seja considerado nacionalizado", declarou Stadler.

O Brasil é quarto maior mercado automotivo do mundo e muitas montadoras estão sendo praticamente "obrigadas" a ter fábricas no País para se manterem competitivas – caso da BMW que deve inaugurar sua fábrica em Santa Catarina no final de 2014 – e fugir dos impostos sobre os veículos importados.

Enquanto a Audi não tiver a necessária aprovação do governo para dar andamento ao projeto, Stadler diz que não irá investir no País. “Tem que ser claro. Quais as condições? Quais os requerimentos para a localização? Isso é muito complicado, então requer tempo.”, completa.

Apesar disso, rumores de mercado dão como certa a reabertura da linha de produção da marca alemã em solo brasileiro, com o novo A3. O modelo seria produzido na planta da Volkswagen em São José dos Pinhais, Paraná, junto com a sétima geração do Golf.

Produção no México e nos EUA

A planta que a Audi irá construir no México está prevista para 2016 e irá produzir o crossover Q5 para abastecer o mercado global. No entanto, Stadler disse que a abertura desta nova fábrica não fecha as portas para a instalação de uma futura unidade nos Estados Unidos, caso esse projeto aconteça algum dia. “Estamos totalmente abertos a isso no futuro, mas depende sempre do modelo em questão e da localização de seu mercado principal.”

Assine a newsletter semanal do AUTOO!