Bugatti prepara sucessor do Veyron

Presidente da companhia descarta Galibier e aposta em novo cupê para substituir superesportivo

Apenas uma unidade do carro foi produzida | Imagem: divulgação

O Bugatti Veyron já está chegando ao seu ocaso. Existem hoje apenas 43 unidades novas do superesportivo e, segundo Wolfgang Schreiber, presidente da marca, estes são os últimos produzidos do modelo que ultrapassou a barreira dos mil cv pela primeira vez.
 
Mas o que a centenária companhia francesa fará depois de aposentar seu principal produto? A empresa já planeja um sucessor ao Veyron e houve quem apostasse que o conceito Galibier, fosse a principal opção para continuar o legado. No entanto, ele não será produzido. Segundo Schreiber, não haverá um Bugatti com 4 portas para não confundir os clientes, já que o Veyron tem um nicho muito claro, enquanto o Galibier corria o risco de ficar entre segmentos distintos.

Veja também: O exclusivo clube dos 3 segundos

Os rumores indicam que o novo Bugatti continuará sendo um cupê e que pode até não superar os 1.200 cv de potência da versão Super Veyron. Em vez disso, a marca francesa (de propriedade da Volkswagen) pode apostar numa revolucionária tecnologia híbrida mesclada com uma carroceria avançada inspirada nos materiais usados na Fórmula 1. Talvez a Bugatti siga os passos da Ferrari, com a LaFerrari, da McLaren com o P1 e da Porsche com o 918 Spyder. Mas, segundo as palavras de Scheiber, talvez o certo seja não especular muito. “Esqueça Ferrari, Porsche e McLaren. O único carro que o sucessor do Bugatti Veyron está preocupado em superar é o próprio Veyron”.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!