CAOA Chery iCar ou Renault Kwid E-Tech? Analisamos os carros elétricos mais baratos do Brasil

Modelos têm aplicação destinada ao uso urbano e atuam na faixa de preço de R$ 140 mil
Renault Kwid E-Tech e CAOA Chery iCar: os elétricos mais baratos do Brasil

Renault Kwid E-Tech e CAOA Chery iCar: os elétricos mais baratos do Brasil | Imagem: Montagem Autoo sobre fotos de divulgação

Com a apresentação do CAOA Chery iCar nesta semana, chegamos a uma interessante situação no mercado brasileiro em que começam a surgir algumas opções para quem deseja um automóvel 100% elétrico sem precisar gastar rios de dinheiro ou partir para modelos premium. 

Claro que eles ainda não são baratos, mas é possível notar que, entre uma estreia e outra, os preços dos carros elétricos no país começam a apresentar uma queda, mesmo que discreta. 

Tabelado em R$ 139.990, o iCar torna-se o carro elétrico mais barato do Brasil, título que, até então, pertencia ao Renault Kwid E-Tech, lançado em abril deste ano por R$ 142.990 durante a etapa de pré-venda. Correndo por fora, vale citar o JAC E-JS1, atualmente o carro mais eficiente do país, porém seu preço é mais salgado e alcança R$ 164.900. 

Voltando ao Kwid E-Tech e o iCar, em comum os dois modelos contam com uma aplicação tipicamente urbana, o que é enfatizado pelos comedidos 3,20 m de comprimento do CAOA Chery e sua carroceria 2 portas. Além disso, a dupla chega ao mercado brasileiro importada da China. 

Estrutura 

Analisando os dois projetos, começamos a identificar algumas diferenças importantes entre os dois modelos. 

Enquanto o Kwid E-Tech é baseado na versão térmica do Renault, o CAOA Chery iCar, modelo que já está em sua quarta geração, foi concebido desde o início para oferecer somente propulsão elétrica, trazendo soluções que otimizam sua proposta. 

Um bom exemplo no caso do iCar é a sua construção em grande parte composta por alumínio de aviação e plásticos de alta resistência, tornando o subcompacto mais leve e aprimorando a eficiência energética do conjunto. 

Tanto o iCar quanto o Kwid E-Tech são homologados para 4 passageiros, sendo que, ao compartilhar a mesma carroceria com o hatch nacional, o Kwid E-Tech chinês tem a vantagem de oferecer um pouco mais de conforto aos seus ocupantes no banco traseiro graças ao entre-eixos de 2,42 m (medida que atinge apenas 2,15 m no iCar). 

O maior comprimento do Renault (3,73 m) também resulta em um ganho considerável no porta-malas, que é de 290 litros no Kwid E-Tech. 

O iCar, quando transportando seus 4 passageiros, tem uma área de carga para apenas 100 litros. Só com motorista e passageiro, entretanto, é possível rebater o banco traseiro e transportar 380 litros de bagagens no CAOA Chery. 

Logo, é interessante você ponderar se faz mais sentido para o seu tipo de uso um modelo extremamente compacto e prático para o uso urbano ou você ainda não abre mão de um pouco mais de versatilidade e conforto, mesmo no caso de um carro elétrico para o dia a dia. 

Propulsão 

Tanto o CAOA Chery iCar quanto o Renault Kwid E-Tech apostam em motores elétricos compactos e eficientes. 

No quesito propulsão, contudo, o elétrico recém-lançado da CAOA Chery toma a dianteira. 

O iCar conta com 61 cv, potência até menor em relação ao Kwid E-Tech (65 cv), entretanto o torque do CAOA Chery é consideravelmente superior (15,3 kgfm) em relação ao entregue pelo Renault (11,5 kgfm). 

Com isso, o iCar consegue ser bem mais ágil ao volante, com um 0 a 100 km/h cumprido em 12,8 segundos, tempo muito mais convincente em relação aos longos 14,6 segundos que o Kwid E-Tech demanda para realizar a mesma prova de performance.  

Considerando o uso combinado cidade/estrada, o iCar também leva uma discreta vantagem, ao alcançar uma autonomia de 282 km de acordo com o novo padrão mundial WLTP, enquanto o Kwid E-Tech registra 265 km, já de acordo com as normas válidas no Brasil. 

Equipamentos 

Sem surpreender na lista de equipamentos, tanto o CAOA Chery iCar quanto o Renault Kwid E-Tech contam com os equipamentos essenciais de conforto, segurança e conectividade. 

Ambos chegam ao país com central multimídia (7” no Renault e 10,25” no CAOA Chery), controles de tração e estabilidade, travas e vidros elétricos, sensor de estacionamento, câmera de ré e 6 airbags no Kwid E-Tech (o iCar conta apenas com o airbag frontal duplo). 

O iCar, mesmo mais barato do que o Renault, ainda melhora o “recheio” da lista de itens de série com o teto panorâmico fixo, rodas de liga leve aro 15”, banco do motorista com ajustes elétricos, carregador de smartphones por indução além de ajuste elétrico e aquecimento para os retrovisores externos. 

Recomendação 

Como constatamos, o Kwid E-Tech tem como principal atributo a carroceria mais espaçosa e o porta-malas superior em relação ao CAOA Chery iCar. 

Contudo, ao levarmos em conta a proposta dos dois carros, é praticamente certo que eles deverão ser muito mais utilizados como uma ferramenta de transporte individual nos grandes centros urbanos do que como veículos familiares ou para mais do que duas pessoas. 

Nesse contexto, fica a dúvida sobre até que ponto o porta-malas maior ou as 4 portas do Kwid E-Tech serão características decisivas para o potencial cliente da dupla. 

Logo, nos parece que a proposta do iCar, ao priorizar um porte pequeno e prático para o uso cotidiano, faz mais sentido.   

O CAOA Chery também se mostrou melhor nos quesitos desempenho e autonomia, além de oferecer uma avançada estrutura construtiva para a carroceria. 

Logo, enquanto a concorrência não prepara algo novo, o CAOA Chery iCar surge como a escolha indicada entre os carros elétricos mais baratos do Brasil. 

Renault Kwid E-Tech e CAOA Chery iCar: os elétricos mais baratos do Brasil

Renault Kwid E-Tech e CAOA Chery iCar: os elétricos mais baratos do Brasil

CAOA Chery iCar

CAOA Chery iCar

CAOA Chery iCar

CAOA Chery iCar

CAOA Chery iCar

CAOA Chery iCar

CAOA Chery iCar

CAOA Chery iCar

CAOA Chery iCar

CAOA Chery iCar