Por R$ 142.990, Kwid E-Tech é o novo carro elétrico mais barato do Brasil

Modelo chega ao Brasil importado da China com preço especial para a etapa de pré-venda
Renault Kwid 2023

Renault Kwid 2023 | Imagem: Divulgação

A Renault iniciou nesta quinta-feira (14) a pré-venda do Kwid E-Tech no país. Com preço especial de R$ 142.990, o modelo torna-se o carro elétrico mais barato do Brasil com uma larga vantagem sobre o JAC E-JS1 (R$ 164.900), até então o responsável pelo título. 

Também importado da China, como o rival da JAC, o Kwid E-Tech Electric será comercializado em versão única e traz de série 6 airbags, controles de tração e estabilidade, direção assistida, trio elétrico, limitador de velocidade, entre outros itens.

De acordo com a Renault, até o momento não existe previsão de nacionalizar a produção do Kwid elétrico, que, por sua vez, não afetará a oferta do Zoe por aqui. O modelo segue em linha posicionado acima do Kwid E-Tech.  

Equipado motor e caixa redutora pensados para o mercado brasileiro, o Kwid E-Tech conta com 65 cv de potência e torque instantâneo de 11,5 kgfm. Com isso, o modelo acelera de 0 a 100 km/h em 14,6 segundos. 

Com uma bateria de 26,8 kWh, o Kwid E-Tech Electric terá autonomia de 265 km mesclando o uso na cidade e na estrada ou de 298 km em ciclo urbano, já de acordo com a norma SAE J1634, adotada pelo Inmetro para o mercado brasileiro. 

Versátil para realizar a recarga, o Kwid E-Tech pode ser alimentado tanto em uma tomada comum 20A aterrada de 220V quanto em dispositivos do tipo Wallbox de corrente alternada (AC) com 7 kW e carregadores de corrente contínua (DC). 

Segundo a Renault, para efetuar uma recarga de 15% até 80% da bateria em corrente contínua são necessários 40 minutos, em um Wallbox de 7kW o tempo é de 2h54 e, no caso da tomada doméstica de 220 volts, é necessário aguardar 8h57. 

Barato para rodar e manter

Apesar do preço de aquisição elevado, a grande vantagem de um carro elétrico como o Kwid E-Tech fica por conta do custo de propriedade consideravelmente menor. 

Segundo estimativas da Renault, ele chega a ser 8 vezes inferior ao de um veículo a combustão equivalente, com destaque para o fato de que as revisões são bem menos onerosas por conta da mecânica elétrica, a qual, obviamente, não demanda serviços caros como a troca de óleo, por exemplo.   

Em termos práticos, a Renault detalha que o custo por quilômetro rodado do Kwid E-Tech é de R$ 0,06, cifra que aumenta para R$ 0,48 em um veículo térmico equivalente. Para chegar a esses números, a fabricante considerou o preço médio do litro da gasolina em R$ 7,30 em algumas capitais do Sul e Sudeste, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP), e o valor médio de 1 kWh a R$ 0,66. 

Comparação com um hatch 1.0

Em outro paralelo interessante, a Renault comparou o Kwid E-Tech com um hatch compacto 1.0 manual. 

Ao levar em conta o preço de compra dos dois modelos (R$ 78.990 no caso do automóvel térmico), além das despesas com abastecimento e recarga, custo operacional (revisões, documentação e seguro) e o valor residual dos dois carros, ambos se equivalem ao fim de 3 anos considerando um deslocamento de 20 mil km/ano.   

Espaço e porta-malas preservados

Segundo a Renault, o Kwid elétrico preserva o mesmo espaço interno da versão convencional 1.0 flex, assim como o porta-malas, um dos destaques do compacto, segue em 290 litros.

Visualmente, as diferenças entre as duas opções do Kwid fica por conta da grade frontal própria da versão elétrica, faixas laterais identificando o catálogo E-Tech e o logotipo na tampa do porta-malas. 

Renault Kwid 2023
Renault Kwid 2023
Imagem: Divulgação

Internamente, o Kwid E-Tech Electric traz detalhes em prata combinados com preto brilhante no painel, enquanto a alavanca de câmbio presente no Kwid térmico é substituída por um seletor rotativo com três posições: D (drive/marcha à frente), N (neutro/ponto morto) e R (ré). 

O Kwid E-Tech terá três anos de garantia, porém a bateria é coberta por um total de oito anos. 

Assinatura

Para quem ainda é reticente com a questão da desvalorização e liquidez de um automóvel 100% elétrico, uma alternativa interessante é o fato de que marca vai oferecer o Kwid elétrico também por meio de seu programa de assinatura Renault On Demand. 

Segundo a empresa antecipa, no plano padrão de 48 meses com franquia para 1.000 quilômetros ao mês, a mensalidade do Kwid E-Tech é de R$ 3.339. O valor pode ser reduzido para R$ 2.999 se o cliente optar por um pagamento inicial de R$ 9.990, detalha a fabricante.

Por fim, a Renault explica que as vendas regulares do Kwid E-Tech terão início a partir de julho em sua rede de concessionárias, com as entregas das primeiras unidades do modelo ocorrendo no mês seguinte. O preço do modelo fora da pré-venda a partir deste mês também deverá ser majorado. 

Renault Kwid 2023
Renault Kwid 2023
Imagem: Divulgação