Alcança 17,6 km/l na cidade: Honda Accord só terá opção híbrida no Brasil

Linha 2021 do sedã chegará ao mercado no segundo semestre com a tecnologia e:HEV
Honda Accord 2021

Honda Accord 2021 | Imagem: Divulgação

Compromisso anunciado pela marca no Salão de São Paulo em 2018, o Accord híbrido torna-se o primeiros dos três modelos eletrificados que a Honda vai lançar no Brasil até o fim de 2023. Também coube ao sedã estrear por aqui a tecnologia de propulsão e:HEV, uma das mais recente adotadas pela Honda e que figura nas novas gerações de Fit e HR-V. De acordo com a fabricante, ainda não há uma perspectiva de nacionalizar o conjunto propulsor híbrido, portanto os outros dois modelos eletrificados que a marca oferecerá no Brasil ainda serão importados. Com isso, são grandes as chances de que o CR-V também siga o mesmo caminho do Accord e passe a ser comercializado no Brasil somente com este tipo de propulsão.

Ainda sem revelar o preço da novidade, a Honda confirmou que o início das vendas do Accord híbrido ficará para o começo do segundo semestre deste ano. O novo catálogo vai substituir o Accord atualmente oferecido no Brasil, que traz motor 2.0 turbo a gasolina e tem preço sugerido de R$ 267.400 em São Paulo. Provavelmente o valor do sedã eletrificado não deverá ficar muito distante.

Pensado para elevar ao máximo a eficiência de um carro híbrido, o sistema e:HEV presente no Accord parte do motor 2.0 a combustão, que opera em ciclo Atkinson e traz 145 cv e 17,8 kgfm ao conjunto. Além dele, estão presentes mais dois motores elétricos. Um deles é o motor-gerador instalado em conjunto com o câmbio CVT. A segunda unidade elétrica, por sua vez, é mais robusta e também é responsável por tracionar o veículo. Ela, de forma isolada, entrega 184 cv e 32,1 kgfm de torque. Segundo a Honda, por questões técnicas que dificultam a aferição em um conjunto propulsor híbrido, a potência combinada do sistema não será informada.

A tecnologia e:HEV opera por meio de três modos de condução. No EV Drive e no Hybrid Drive, apenas o motor elétrico de 184 cv movimenta o veículo e, se necessário, o motor 2.0 a gasolina entra em funcionamento apenas para recarregar a bateria principal do conjunto. De acordo com a fabricante japonesa, por conta dos bons números de potência e torque, a maior parte das condições de rodagem podem ser atendidas por esses dois modos, o que aproxima o comportamento do Accord híbrido ao de um carro elétrico propriamente dito, com abundância de torque a todo momento e respostas rápidas de acelerações e retomadas.

O terceiro modo é chamado pela Honda de Engine Drive e, nesse tipo de uso, o motor 2.0 a gasolina é conectado diretamente às rodas. A ideia é que ele opere somente em velocidades mais altas de cruzeiro, quando o motor a combustão trabalha de forma mais econômica.  

Com isso, destaca a Honda, o Accord híbrido consegue alcançar eficiência energética de 1,20 MJ/km, com consumo de 17,6 km/l na cidade e 17,1 km/l na estrada, de acordo com os padrões do INMETRO para o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular. 

 

Em relação ao Accord até então oferecido no Brasil, o sedã com propulsão híbrida traz como diferenciais um novo para-choque e nova grade, com desenho mais horizontal, além de novos faróis de neblina em LED. A configuração traz ainda rodas de liga leve aro 17” escurecidas e próprias da versão, além de um um novo acabamento na parte inferior do para-choque. Na tampa traseira, o logo e:HEV identifica a versão híbrida, junto dos novos emblemas H frontal e traseiro com novo acabamento azul, exclusivo dos veículos híbridos da marca. 

O Accord híbrido também traz evoluções no campo dos equipamentos. A central multimídia passa a contar com os sistemas de espelhamento Apple CarPlay e Android Auto sem fio, o carregador de indução está mais potente (agora com 15 W) e a Honda adicionou saídas USB para os passageiros no banco traseiro. 

O pacote de assistentes de condução Honda Sensing também recebeu mais recursos, incorporando a tecnologia Low Speed Braking Control, que ativa o freio em manobras de baixa velocidade caso detecte a possibilidade de colisão. Ainda segundo a Honda, o assistente de permanência em faixa e o controle de cruzeiro adaptativo passam a operar com um “funcionamento mais preciso e intuitivo”. Além dos dois recursos citados, no Accord o Honda Sensing engloba também o piloto automático adaptativo, aviso de colisão com frenagem autônoma, entre outros. 

O Accord foi o primeiro modelo da Honda comercializado no Brasil a contar com 8 airbags, sendo o duplo frontal obrigatório, laterais, de cortina e para os joelhos do motorista e passageiro dianteiro. 

Segmento que já foi mais aquecido no Brasil, onde figuravam o Ford Fusion e o VW Passat, hoje o Honda Accord tem apenas como concorrente mais próximo o Toyota Camry, que é vendido no Brasil por R$ 329.190 no estado de São Paulo na versão XLE com motor 3.5 V6 de 310 cv e 37,7 kgfm de torque.