China ultrapassa o Japão em 2023 como maior exportador de veículos do mundo

Aumento da procura por modelos elétricos e alta nas vendas para países emergentes levaram ao feito
Marcas chinesas crescem o ritmo de produção e ultrapassam os japoneses nas exportações globais

Marcas chinesas crescem o ritmo de produção e ultrapassam os japoneses nas exportações globais | Imagem: Divulgação

A China vai tomando conta do mercado mundia de veículos batendo recordes de vendas. Desta vez, chega a notícia de que passou a ser o maior exportador de veículos do mundo, com 5,26 milhões de unidades, conforme dados da Associação de Automóveis de Passageiros da China, patamar suficiente para superar o Japão, que ficou com 4,3 milhões.

VEJA TAMBÉM:

Entre os fatores que que contribuíram para a China ter ultrapassado o Japão quando o assunto é exportação de veículos destaca-se do aumento não apenas por veículos elétricos (inclusive caminhões e utilitários) em nível global, mas também das vendas para países emergentes, entre os quais México  e Brasil. 

Além disso, o crescimento nas vendas no próprio mercado chinês também ajudou. Foram 21,93 milhões de unidades vendidas em 2023, o que representa uma alta de 5,3 % na comparação com o ano anterior, levada por uma grande redução nos preços por parte da indústria chinesa em geral depois da crise dos semicondutores e da pandemia.

Embora a venda de veículos eléctricos a bateria tenha aumentado 21%, este valor ficou abaixo do aumento de 74% registado em 2022 e bem atrás do aumento de 83% na venda de híbridos plug-in.  Mas o que realmente vale destacar é que as marcas chinesas representam agora 63% do mercado total, um aumento em relação aos 56% do ano anterior.

Um dos maiores sucessos de 2023 para a indústria automotiva da China foi a BYD. A fabricante de automóveis vendeu um total de 3.024.417 veículos no ano passado, o suficiente para entrar no ranking dos 10 maiores fabricantes de automóveis do mundo. Conseguiu até superar as vendas de veiculos elétricos da Tesla no quarto trimestre.

Vendas de marcas chinesas no Brasil

Marca chinesa Omoda chega oficialmente ao Brasil, que pode receber ainda mais fabricantes da China
Marca chinesa Omoda chega oficialmente ao Brasil, que pode receber ainda mais fabricantes da China
Imagem: Divulgação

No mercado brasileiro, as importações de modelos de marcas chinesas bateram recorde em 2023, já que tiveram um aumento de 431%, atingindo 41.966 unidades, conforme dados do balanço anual da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).  E isso também se deve à maior procura por modelos eletrificados (elétricos e híbridos). 

Em 2023, a participação dos eletrificados bateu recorde, chegando a 6,8% do total das vendas com a investida mais forte de marcas chinesas como a BYD, GMW e Caoa Chery. Em dezembro, foram emplacados 16.279  de carros elétricos, híbridos e híbridos plug-in, quase o triplo de 2022 (5.587 em dezembro de 2022), o que representa uma alta de 191%.

A BYD se destacou nas vendas de eletrificados no Brasil entre as marcas chinesas, com 17.943 unidades, com o sucesso dos modelos Dolphin e Song Plus. A Caoa Chery teve 11.835 unidades vedidas no ano, com uma série de modelos eletrificados. E a GMW se saiu bem nas vendas do SUV Haval H6 e do hatch compacto Ora 03, chegando nas 11.473 unidades.

Siga o AUTOO nas redes: Instagram | LinkedIn | Youtube | Facebook | Twitter

 

Recomendados por AUTOO

Youtube
Fiat Fastback Abarth

Fiat Fastback Abarth

SUV Cupê tem veneno na medida certa
Aviação
Áustria terá ajuda da Holanda para comprar seus Embraer KC-390

Áustria terá ajuda da Holanda para comprar seus Embraer KC-390

Rival do Hercules deve chegar ao país da Europa em 2027
MOTOO
Veja os preços da nova Zontes 350!

Veja os preços da nova Zontes 350!

Novas T350, T350x, R350 e V350 aparecem em site da empresa