Com procura cada vez maior por SUVs, futuro do Ford Fusion é incerto

Sedã médio-grande poderá ser descontinuado até o fim da década
Ford Fusion 2017

Ford Fusion 2017 | Imagem: Divulgação

Modelo com boa aceitação no Brasil, ao que tudo indica o Ford Fusion parece que não se encaixa na estratégia de longo prazo da montadora norte-americana.

Segundo o Automotive News, a Ford começou a informar seus fornecedores que não irá mais produzir o sedã em sua fábrica de Hermosillo, no México, a qual abastece não só os EUA como também o Brasil. Segundo a fonte ouvida pelo veículo de imprensa norte-americano, ainda não se sabe se o Fusion sairá de linha, será substituído por outro modelo ou passará a ser fabricado em outro local.

A matriz da Ford dos EUA se negou a comentar a reportagem do Automotive News, porém, em resposta a outra reportagem, dessa vez da Reuters, a fabricante adiantou que não planeja exportar o Fusion da China para outros mercados. O país asiático vai se consolidar dentro dos planos da montadora como um polo para produção de sedãs, contudo, ao que tudo indica, apenas para o mercado específico do país.

O mesmo ocorrerá na Europa, onde o sedã é comercializado com o nome Mondeo e é produzido em Valência, na Espanha. A produção por lá também deverá ser encerrada.

O motivo é que as vendas do Fusion nos EUA despencaram 22% neste ano, com outros 21% de queda do Mondeo oferecido na Europa. Segundo analistas, o motivo é a procura cada vez maior dos consumidores por crossovers e SUVs em vários mercados ao redor do mundo. Aqui no Brasil, ao contrário, o Fusion ainda registra um bom crescimento nas vendas. De janeiro a novembro de 2016 foram emplacadas 3.248 unidades do sedã, já no mesmo período deste ano o modelo foi a escolha de 4.026 consumidores, portanto uma alta de 23,9%. 

Alguns rumores dão conta, mesmo em meio ao tsunami dos SUVs, de que a Ford já trabalha na terceira geração do Fusion. Ela seria lançada em 2020 como linha 2021. Com forte apelo em alguns mercados como é o caso do Brasil, talvez a Ford ainda aposte na importação dele para cá muito provavelmente, ao que tudo indica, da China.

O AUTOO procurou a Ford do Brasil para comentar a reportagem mas até o momento não obtivemos retorno.