Com quatro portas, Mini Cooper abre novas possibilidades

Marca espera aumentar em até 25% o volume de vendas do modelo com a nova versão

Segundo a marca, o Cooper 4p com motor 1.5 atinge até 207 km/h | Imagem: Mini

Nos últimos anos a Mini vem passando por um processo de reformulação que em certos momentos vai contra a filosofia original da marca, que é de produzir carros compactos. Nesse meio tempo surgiu um jipinho, o Countryman, e uma variação cupê, o Paceman, ambos “carrões” comparados aos modelos tradicionais da fabricante inglesa. Por outro lado, a montadora nunca faturou tanto.

A nova cartada é a versão quatro portas do Mini Cooper. Segundo pesquisas da marca, 25% das pessoas que rejeitam comprar o modelo tomam essa decisão justamente pelo fato do carro não ter carroceria com quatro portas. “Essa nova opção torna o carro mais versátil, atingindo principalmente novos clientes”, aposta Julian Mallea, diretor da Mini no Brasil.

Para receber mais duas portas a carroceria do Cooper ganhou mais 16 cm de comprimento, chegando a um total de 3,98 metros, além de mais 7,2 cm de distância entre-eixos. Ou seja, ainda é Mini. Apesar do tamanho, o modelo impressiona com um bom espaço interno que leva tranquilamente quatro adultos. A carroceria “esticada” também aumentou a capacidade do porta-malas para 278 litros, 67 l a mais que o Cooper 2p. A versão 4p tornou tão prática quanto um Fiat Palio ou VW Gol, mas com acabamento de luxo e design caprichado (e preço nas estrelas).

A fileira traseira de bancos possui cintos de segurança para três pessoas e dois pontos Isofix para fixação de cadeirinhas infantis, características que dão ao carro um aspecto mais familiar. E tudo fica mais fácil com as portas traseiras, acabando com os “malabarismos” que o modelo 2p exige toda vez que algo ou alguém precisa se acomodar no banco traseiro.

Motorização

O novo modelo com quatro portas mantém o mesmo leque de opções de motorização da versão tradicional, começando pelo motor 1.5 turbo três cilindros de 136 cv que equipa as versões “Cooper”. Com bom rendimento, esse carro nem parece ser equipado com um motor tricilindriclo. O segredo está no torque de 22,4 kgfm que surge logo em 1.250 rpm e segue plano até 4.400 rpm. Em outras palavras, o modelo dispõe de força total em praticamente toda as fases de aceleração. Já o câmbio é sempre automático de seis marchas.

A transmissão possui um “obediente” comando sequencial, que permite reduções de marchas mais rápidas, embora o comando manual seja operado apenas na alavanca – as borboletas no volante são exclusivas da versão Cooper S. O veículo ainda possui três modos de condução, que variam as respostas do motor, câmbio, volante e suspensão de acordo com o programas “Green”, “Mid” e “Sport”. Segundo dados da marca, o modelo pode rodar até 21,2 km/l no modo mais econômico.

E o desempenho é bem esportivo para um carro com motor 1.5. De acordo com dados da marca, o Cooper 5p vai do 0 aos 100 km/h em 8,2 segundos e pode atingir até 207 km/h.

Quem quiser mais velocidade deve optar pela versão Cooper S, que traz o motor 2.0 Turbo (esse sim quatro cilindros) de 192 cv e um kit visual mais atraente. Segundo a marca, o modelo com esse motor acelera do 0 até 100 km/h em 6,9 s e atinge até 232 km/h de velocidade máxima. Esse carro também possui sistema de freios mais potentes e suspensão com ajuste mais rígido, transmitindo uma sensação de condução totalmente diferente do Cooper 1.5.

O Cooper S 4p também tem câmbio automático de 6 marchas, mas desta vez com auxílio de borboletas atrás do volante. O modelo esportivo também possui um sistema com diferentes modos de condução (os mesmo do Cooper) que alteram as respostas do carro. Dirigir na função Sport exige certa perícia e coragem.

Pacote de itens

A divisão brasileira da Mini oferece o Cooper 4p em três versões de acabamento e outras duas para o Cooper S. Os itens que variam de uma versão para a outra são basicamente equipamentos de entrenimento e mais componentes de conforto. Em contra partida, todas as opções trazem os mesmos sistemas de segurança, como airbags e controles eletrônicos de estabilidade e tração, além de sistema Start/Stop para economizar combustível.

A versão de entrada, o Cooper 4p, tem preço inicial de R$ 105.950, R$ 6.000 a mais que o modelos 2p. Nessa configuração, o modelo tem central multimídia básica, com monitor pequeno e funções triviais, como conexão USB e Bluetooth para celular. Já a versão Cooper S Exclusive, disponível por R$ 122.500, traz recursos como controle de velocidade de cruzeiro adaptativo (ACC) e sistema de entrenimento com interface mais dinâmica.

O modelo mais caro da nova linha Cooper 4p é o S Top, anunciado por R$ 139.950. Com bancos de couro, central multímidia com caixas de som Harman-Kardon, entre outros, esse modelo é uma mistura de carro esportivo com vocação familiar, algo que não teria se tivesse apenas duas portas.

O lançamento é caro, mas deve atingir o seu público e engordar as vendas da Mini no Brasil. Com esse novo carro, a concorrência e os clientes são diferentes e os dois têm em comum o fato de buscarem um veículo com design distinto e versatilidade.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!