Com R$ 66 mil no bolso, você já pode sair de Chevrolet Tracker usado

Importado a partir de 2013, SUV concorria na época com Ford EcoSport e Renault Duster na sua segunda geração
Chevrolet Tracker 2016

Chevrolet Tracker 2016 | Imagem: Divulgação

Você está sempre antenado nas principais tendências de mercado e valoriza o seu dinheiro. Para isso, os SUVs são o que há de melhor a oferecer sem que você perca o seu investimento. Assim, uma boa opção no mercado é o Chevrolet Tracker a partir da segunda geração.

VEJA TAMBÉM:

Bastante popular, essa geração teve uma boa carreira no Brasil e foi importada do México no final de 2013 em única versão oferecida, no caso a LTZ. Traz motor Ecotec 1.8 16V (mesmo utilizado no Cruze) de 144/140 cv, câmbio automático de seis marchas e só tração dianteira (ao contrário da primeira geração). 

Além disso, a única opção a ser oferecida já vem com dois airbags, sendo o do motorista e passageiro, câmera de ré, sensor de estacionamento, sistema multimídia MyLink, rodas de 18 polegadas, rack de teto, luzes de neblina, sistema multimídia MyLink com tela sensível ao toque, controle de velocidade e de cruzeiro, sistema de navegação por satélite (GPS), comandos no volante, freios com ABS, tudo isso de série. Já os airbags laterais, de cortina e teto solar elétrico podiam ser pedidos como opcional.

De olho na concorrência com a chegada dos SUVs Jeep Renegade, Honda HR-V e Peugeot 2008, a Chevrolet resolveu lançar a opção de entrada LT em 2015. Trazia com o mesmo conjunto motriz da topo de linha LTZ, mas perdeu o sistema multimídia com GPS, rodas de aro 18 e controlador de velocidade de cruzeiro (piloto automático).

A estratégia era apostar nos preços mais competitivos e ampliar as vendas do modelo, aproveitando o bom momento vivido pelos SUVs compactos no Brasil. Apesar do enxugamento da lista de itens, a LT ainda se tornava uma escolha interessante para o consumidor exigente. De série, a versão mais “simples” traz direção hidráulica, trio elétrico, computador de bordo, faróis e lanterna de neblina e um sistema multimídia com leitor de CD MP3 Player e Bluetooth.

Acompanhado de uma reestilização no final de 2016, já como modelo 2017, o SUV passou a contar com motor 1.4 turbo flex de 153/150 cv, ganhando não só em desempenho, como também no consumo (em média 25%). 

Para 2018, último ano da segunda geração, a versão LT passou a vir com controle de estabilidade e de tração e, nesse mesmo ano, veio a série especial Midnight. Assim como na picape Chevrolet S10 Midnight, no Tracker Midnight a principal novidade é a cor externa preta Ouro Negro combinando com as rodas exclusivas de aro 18 polegadas, maçanetas e friso do porta-malas e logomarcas, tudo na mesma tonalidade.  

PONTOS QUE MERECEM ATENÇÃO

Chevrolet Tracker 2016
Chevrolet Tracker da segunda geração vem com sistema de som com bluetooth e velocímetro digital entre os equipamentos
Imagem: Divulgação

Pintura

Uma falha crônica, mais frequente nos últimos modelos 2017 da segunda geração, e que afeta também a linha Onix, é a qualidade da pintura, conforme relatado em fóruns, vídeos e sites de reclamação como o Reclame Aqui. Os defeitos mais comuns são manchas, pontos de solda, oxidação e descascamento da pintura. O problema é que mesmo tendo sido feito o reparo, para quem vai comprá-lo, fica difícil se foi refeita apenas a pintura ou se sofreu uma colisão mais séria.

Barulhos

O Tracker traz como característica do projeto - e não defeito - a suspensão mais rígida. Até aí tudo bem, mas em contato com pisos mais acidentados, é inevitável o surgimento de ruídos no conjunto estrutural. Segundo alguns proprietários do SUV, foi notado também alguns barulhos do painel, tampão traseiro do porta-malas e forros de acabamentos de portas.

Ar-condicionado 

O sistema é ineficiente, segundo apontamento dos donos de Tracker. Além de não resfriar a cabine em climas mais quentes, alguns relataram o desligamento repentino e o religamento novamente, sem a ação do motorista. Sem ter uma explicação única para o problema, alguns dos casos foram resolvidos na rede autorizada da Chevrolet. Por isso, antes de comprar o modelo, teste o ar-condicionado por alguns minutos e observe o seu funcionamento.

Recalls

Atente para os chamados da substituição da tubulação de freios, cilindro de ignição, braço da suspensão, airbag do motorista e  tampa do acumulador de pressão do sistema start/stop, localizado junto à transmissão do veículo. Qualquer dúvida, com o número do chassi, acesse o site da GM e, caso o veículo não tenha passado pelo chamamento, é só agendar o serviço através do portal.

 

MELHORES E PIORES UNIDADES PARA COMPRAR

Chevrolet Tracker 2016
Chevrolet Tracker tem porta-malas de 306 litros e pode levar 420 kg de carga, de acordo com dados da fabricante
Imagem: Divulgação

 

O modelo é dono de um ótimo custo-benefício, mas se você tem família numerosa, esqueça. Da lista de SUVs compactos, o Tracker é o que oferece o menor volume do porta-malas, 306 litros. Em contrapartida, é o modelo cuja marca tem maior rede de concessionárias.

Com essas vantagens, você pode ficar tranquilo com a manutenção, ainda que seja um modelo importado do México. 

O preço do seguro também não é assustador, considerando que estamos falando de um SUV que geralmente são mais visados para furtos e roubos. Tomando como exemplo o perfil masculino, 42 anos, morador de São Paulo, segundo a cotação feita através da Youse, o valor anual é de R$ 2.564,10 no plano Essencial.

Falando em valores, com R$ 66 mil, você já pode sair de Tracker 2013 bem completinho, mas se a intenção é usá-lo diariamente, dê preferência às versões equipadas com motor turbo, que têm melhor desempenho e são mais econômicas. Só para comparar, as primeiras, equipadas com motor 1.8 16V fazem 6,4 km/l na cidade e 9,2 km/l na estrada com etanol e na gasolina 8,3 km/l e 11,9 km/l, nessa mesma ordem.

As opções com motor 1.4 turbo que equipam a partir da linha 2017 têm o consumo de 7,3 km/l no ciclo urbano e 8,2 km/l no rodoviário quando abastecido com o combustível vegetal. Com o produto de origem fóssil, os números são mais animadores: 10,6 km/l e 11,7 km/l , respectivamente. Quanto ao valor, na Fipe, o modelo mais em conta está tabelado em R$ 78.815. 

Siga o AUTOO nas redes: Instagram | LinkedIn | Youtube | Facebook | Twitter

 

Chevrolet Tracker 2016

Chevrolet Tracker 2016

No caso das bicicletas, caso você opte pelo suporte de teto é necessário ficar atento (a) com túneis, entrada de garagem, etc.

No caso das bicicletas, caso você opte pelo suporte de teto é necessário ficar atento (a) com túneis, entrada de garagem, etc.

Recomendados por AUTOO

Youtube
Volvo XC40, um SUV elétrico com preço mais acessível

Volvo XC40, um SUV elétrico com preço mais acessível

Modelo custa menos que similares alemães e não decepciona. Confira avaliação
Aviação
Embraer tenta vender o avião de ataque A-29 Super Tucano para Gana

Embraer tenta vender o avião de ataque A-29 Super Tucano para Gana

País africano quer usar turboélice brasileiro para combater grupos terroristas e pode encomendar até cinco aeronaves
AUTOO
Siga o AUTOO em nosso canal no WhatsApp

Siga o AUTOO em nosso canal no WhatsApp

Acompanhe as notícias sobre automóveis do site de forma mais rápida e prática!