Covid-19: confira todas as marcas que já anunciaram parada na produção

Confira um resumo das fabricantes que irão suspender a produção devido à queda na demanda
Acima a fachada da fábrica da FCA em Goiana (PE), de onde sairão boas novidades para o mercado brasileiro

Acima a fachada da fábrica da FCA em Goiana (PE), de onde sairão boas novidades para o mercado brasileiro | Imagem: Divulgação

Com o recente avanço da Covid-19, doença causa pelo novo coronavírus ao redor do mundo, as principais montadoras instaladas no país vêm anunciando paralisações programadas em algumas de suas linhas, em especial após as medidas de contenção da contaminação anunciadas pelo Governo Federal e os Estados. Questionada pelo Autoo, a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), informou quais de suas associadas devem parar.

Entre elas está a General Motors, que suspenderá as atividades em todas as suas unidades fabris no Brasil a partir do dia 30 de março. A Mercedes-Benz também havia informado uma pausa nas atividades em período similar. Ambas terão regimes de férias coletivas até meados de abril, mas a Chevrolet diz que está apenas “adequando a produção à demanda menor”.

A Volkswagen emitiu comunicado informando que suspenderá suas atividades a partir de 23 de março. A marca alemã deve ter a produção parada até o dia 30 de março. Entre as datas, funcionários da área administrativa devem trabalhar de casa. A partir de 31 de março, todos os empregados estarão de férias coletivas por duas semanas. A marca informou que “a medida visa preservar a saúde dos empregados e familiares em decorrência do avanço da COVID-19". As unidades produtivas de Pacheco e Córdoba, na Argentina, também permanecerão com as atividades suspensas no mesmo perído.

No caso da Ford, a suspensão das atividades valerá entre 23 de março e 13 de abril. Em comunicado à imprensa, a marca afirmou que “a maior prioridade da Ford é sempre a segurança e o bem-estar de nossos funcionários e parceiros. Essa ação adicional ajudará a reduzir o risco de disseminação da COVID-19, ao mesmo tempo em que potencializa a saúde dos nossos negócios durante esse período desafiador para toda a economia".

Entre as japonesas a entrar no grupo das montadoras que terão as atividades paralisadas figura a Toyota. Em comunicado, a marca informou que suspenderá a produção nas quatro fábricas que mantém no Brasil entre os dias 24 de março e 6 de abril. A Toyota diz que a parada visa “atenuar os riscos a seus funcionários e familiares, além de enfrentar incertezas de curto prazo do mercado e dificuldades logísticas que devem se agravar”. No fim da tarde desta sexta-feira (20), a Honda também suspenderá suas atividades em Sumaré e Itirapina a partir do próximo dia 25 deste mês seguindo até 14 de abril. A Honda destaca que o prazo pode ser prorrogado até do dia 27 do mês que vêm. “Em relação à planta de motocicletas, localizada em Manaus (AM), no momento, as atividades produtivas seguem operando, com medidas adicionais de prevenção. A parada da produção é uma alternativa em avaliação, em resposta ao provável avanço na disseminação do vírus no estado do Amazonas”, adianta a Honda.

Outra empresa que divulgou mais ações nesta tarde foi a Fiat Chrysler. O conglomerado “iniciou esta semana a diminuição gradual da produção em suas fábricas no Brasil (Betim-MG, Goiana-PE e Campo Largo-PR), tendo a paralisação total prevista para ocorrer até 27 de março. As atividades fabris serão retomadas em 21 de abril”. “A FCA anuncia também o adiamento imediato de todos os eventos e ações de produto (lançamentos, apresentações, cursos e treinamentos, etc.) previstos em toda a América Latina. Os mesmos serão reagendados oportunamente”. Vale a pena destacar que o lançamento da nova geração da Fiat Strada estava previsto para o início de abril. Ao que tudo indica, a apresentação deverá ocorrer em uma data futura a ser confirmada pela marca. 

Outra associada da Anfavea que deve ter algum tipo de paralisação é a Volvo, que mantém uma linha de montagem de caminhões na região de Curitiba (PR). A Scania, outra fabricante de caminhões associada, ainda não se pronunciou, enquanto as operações de veículos comerciais da Mercedes-Benz terão as mesmas paralisações de atividades que as de modelos de passeio. 

Atualização (20/03/2020 às 17h49): após a publicação deste texto, Renault e Peugeot Citroën também anunciaram paradas em sua linhas de produção. No caso da Renault, a produção no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais - PR, será realizada no período de 25 de março a 14 de abril. A PSA, por sua vez, decidiu interromper a produção em sua fábrica de Porto Real (RJ) de 23 de março a 21 de abril de 2020. A produção será então reiniciada dependendo da futura situação no país. O BMW Group Brasil na mesma linha anuncia a suspensão temporária da planta de Araquari, em Santa Catarina, a partir do dia 30 de março. O retorno das atividades é previsto para 22 de abril. "A companhia ressalta ainda que não há problemas com o fornecimento de peças ou processos de logística e que todos os projetos previstos este ano para a fábrica de Araquari serão mantidos. A empresa espera recuperar os dias de produção no terceiro e quarto trimestres", detalha a BMW. 

Acima a unidade Anchieta, sede da Volkswagen do Brasil
Acima a unidade Anchieta, sede da Volkswagen do Brasil
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!