O sul-africano Gordon Murray pode ser considerado um dos designers mais versáteis da atualidade. Sua maior criação é o McLaren F1, um dos esportivos (de produção já encerrada) mais desejados do mundo, enquanto sua recente obra é o subcompacto T27, a variante elétrica do minúsculo T25. Até um Batmóvel movido a célula de hidrogênio ele já fez.

Com 2,5 metros de comprimento e 680kg, o T27 carrega até três passageiros e pretende ser o elétrico mais eficiente do mundo. Quem movimenta o carrinho é um propulsor elétrico de 33,5 cv, acoplado a um câmbio de uma única marcha. Segundo Murray, sua bateria de íons de lítio leva quatro horas e meia para chegar a 80% de carga, enquanto sua autonomia é de 160 km. Sua velocidade máxima é de 105 km/h, para proteger as baterias.

A princípio apenas um protótipo, o T27 pode se tornar realidade daqui a dois anos, e custaria, na Inglaterra, de £ 14.000 a £ 15.000. O designer depende agora de atrair investimentos não só para o carro, mas como para o complexo processo de produção do T27, batizado de iStream.

Rodrigo Mora

|