É possível melhorar o visual do novo HB20? Esses ilustradores acham que sim

Compacto da Hyundai estreou nova geração em 2019 e que gerou críticas quando ao seu estilo
Kleber também produziu uma leve reestilização do novo HB20 que o deixou mais elegante

Kleber também produziu uma leve reestilização do novo HB20 que o deixou mais elegante | Imagem: Kleber Silva

Não, não é fácil pensar no sucessor de um automóvel bem sucedido sem correr o risco de errar na dose. Muitas foram as vezes em que uma marca exagerou ao repensar um modelo ou então foi comedida ao excesso com medo de errar.

Um caso clássico foi o da 9ª geração do Civic. Em meio à crise financeira de 2008, a Honda foi contida demais ao pensar no substituto do New Civic, geração que colocou o modelo em outro patamar. Ele então encolheu, ficou mais simples e comum. Felizmente, a marca se redimiu na 10ª e atual geração.

Quando decidiu disputar o mercado de compactos no Brasil, a Hyundai foi cirúrgica: analisou todos os concorrentes nos mínimos detalhes e criou um modelo sob medida para o público nacional, o HB20. Ele reunia o desejado estilo da marca, visto em carros mais caros, com soluções bem cuidadas e de qualidade. Se suas características não se destacavam, ele também não comprometia, ou seja, um carro muito equilibrado.

Isso foi em 2012 e logo a Hyundai conseguiu o feito de ter o segundo carro mais vendido do país, desbancando marcas tradicionais como Fiat, Volkswagen e Ford. No ano passado, no entanto, chegou o momento de repensar a fórmula e a solução decepcionou.

A segunda geração do HB20 já começou questionada, afinal não é exatamente “nova”. A marca aproveitou a base original, repensada para oferecer mais espaço, além de conteúdo mais moderno. Se não há dúvida que o novo compacto é tecnicamente superior ao antigo é no design que ele causou mais polêmica.

Em redes sociais, é comum encontrar pessoas comentando sobre seu visual até hoje, mesmo passados meses após o lançamento, quando geralmente alguns modelos de estilo mais controverso acabam sendo absorvidos à medida que o impacto do primeiro contato acontece.

Em geral, no entanto, a sensação de muitos fãs da Hyundai é de que a marca poderia ter feito melhor com o visual do HB20. Como a montadora tem em seu estilo inconfundível um dos seus pilares, talvez a expectativa tenha sido muito alta e o resultado, bem aquém, é claro.

Mas, afinal, seria possível fazer algo melhor com o novo HB20? Para alguns ilustradores, a resposta é sim.

 

Na traseira imaginada por Aírton Marques, as lanternas têm um visual mais harmônico que o original
Na traseira imaginada por Aírton Marques, as lanternas têm um visual mais harmônico que o original
Imagem: Aílton Marques

 

Visual alternativo

Para o publicitário Aílton Marques, de São José do Rio Preto, é possível aprimorar o visual do carro sem descaracterizá-lo. Como ilustrador, ele produziu algumas modificações no estilo do modelo da Hyundai e os compartilhou em um grupo no Facebook. As opiniões em geral foram positivas enquanto alguns consideraram que o projeto original “não tem salvação”.

Focando apenas numa reestilização dianteira e traseira, a proposta de Marques substituiu faróis, grade e partes do para-choque enquanto na traseira ele tocou em um dos grandes pontos polêmicos do carro, as lanternas que invadem a tampa do porta-malas. Embora mantendo a mesma ideia, suas lanternas ficaram nitidamente mais bem resolvidas que o projeto original.

É claro que o novo HB20 traz soluções visuais mais difíceis de serem retrabalhadas com a lateral com frisos que convergem na altura da porta traseira ou o a solução de “teto flutuante” introduzida na coluna C – onde o ilustrador também fez um belo retoque.

Visual mais esportivo

Para Kleber Silva, colaborador regular do Autoo, o HB20 tem sido um prato cheio para suas projeções. O ilustrador já produziu algumas versões da nova geração, geralmente com apelo mais esportivo e que demonstram que é possível melhorar seu estilo.

Um deles foi a hipotética versão “N Line” que ganho uma grade mais envolvente e agressiva, além de para-choque com faróis de neblina maiores. Mas mesmo outra ilustração, que mostra uma leve mudança no estilo atual, soa mais coerente do que o carro verdadeiro.

 

Airton Marques alterou consideravelmente a frente do HB20, mas sem fugir do estilo da Hyundai
Airton Marques alterou consideravelmente a frente do HB20, mas sem fugir do estilo da Hyundai
Imagem: Aílton Marques

 

Recepção morna

De fato, uma coisa é a polêmica provocada em fãs da Hyundai e outra é ver um projeto prejudicar suas vendas. Muitos modelos que repercutiram negativamente entre pessoas mais próximas do setor automobilístico acabaram indo bem no mercado. Mas esse não parece ser o caso do HB20.

Embora seja cedo para afirmar isso, as vendas da nova geração começaram num ritmo bastante lento, ao contrário do seu rival Onix, cuja nova versão sedan assumiu a vice-liderança do mercado em geral. Já o HB20 hatchback amargou a 6ª posição em janeiro, ele que ficou em segundo lugar por muito tempo. O HB20S, por sua vez, está num distante 28º lugar no ranking geral de janeiro, mesmo tendo chegado às lojas primeiro.

Outro sinal de que as coisas não andam tão bem é que a Hyundai já alterou o pacote de opcionais das versões de entrada do HB20, incluindo a opção de controle de estabilidade. Mexidas assim em tão pouco tempo denotam que a expectativa da marca com a estreia do carro ficou abaixo do esperado, assim como seu visual.

 

Uma releitura esportiva do HB20 feita por Kleber Silva
Uma releitura esportiva do HB20 feita por Kleber Silva
Imagem: Kleber Silva

 

Assine a newsletter semanal do AUTOO!