A quarta-feira começou triste para o mundo automotivo. Sergio Marchionne, executivo que ocupava o principal posto administrativo da Fiat Chrysler Automobiles, faleceu nesta manhã vítima de complicações após uma cirurgia. Marchionne tratava um sarcoma no ombro quando sofreu uma embolia durante o procedimento cirúrgico, o que agravou muito seu quadro.

A notícia do falecimento de Marchionne foi dada por John Elkann nesta manhã: “infelizmente o que nós mais temíamos ocorreu. Sergio Marchionne, homem e amigo, morreu. Minha família e eu agradecemos eternamente o que Marchionne fez e nossos pensamentos estão com Manuela e seus filhos Alessio e Tyler. Eu acredito que a melhor forma de honrar o legado que Marchionne deixou para nós é continuar desenvolvendo os valores humanos de responsabilidade e transparência dos quais ele era um ardoroso representante”. 

John Elkann é o herdeiro da família Agnelli e atua junto à FCA representando os interesses do fundador da Fiat.

Conforme informamos anteriormente, o conselho administrativo da Fiat Chrysler estava se preparando para o afastamento de Marchionne do cargo de CEO do conglomerado e apontou Michael Manley como seu sucessor.

O Autoo entrou em contato com a FCA no Brasil e nos foi informado que todos os planos estratégicos da companhia seguem inalterados, uma vez que Manley também os ajudou a desenvolvê-los junto com Marchionne. Para o Brasil, a FCA vai realizar nos próximos anos um vultoso investimento da ordem de R$ 8 bilhões que vai contemplar novos automóveis para as marcas do grupo por aqui e a introdução de motores mais eficientes, dentre outros aprimoramentos locais. 

Nascido na Itália após a Segunda Guerra Mundial, Marchionne emigrou com a família para o Canadá onde estudou filosofia, cursou direito e tornou-se mestre em administração de empresas. Realizou uma carreira de muito sucesso em diversas empresas no país norte-americano e era reconhecido por sua alta capacidade estratégica no mundo dos negócios.

Coube a Marchionne recuperar a Fiat de uma grave crise financeira no início dos anos 2000 e, notando a dificuldade de entrar com a marca nos EUA, viu na concordata da Chrysler há cerca de 10 anos a oportunidade para cumprir essa missão. Marchionne traçou um plano bem-sucedido que resgatou a fabricante norte-americana e criou um dos maiores grupos automotivos do mundo atualmente.

Sergio Marchionne tinha 66 anos e, como já mencionado, deixa a esposa Manuela e os filhos Alessio e Tyler.

 
 
Sergio Marchionne (1952-2018)
 
Sergio Marchionne (1952-2018)
Sergio Marchionne (1952-2018)
Sergio Marchionne (1952-2018)
 
Sergio Marchionne (1952-2018)
Sergio Marchionne (1952-2018)
 
 
César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/