Kia prepara seis lançamentos no Brasil

Marca confirma chegada do Cerato hatch e reafirma intenção de ter uma fábrica no País

Kia Cerato 2014 | Imagem: Kia

A direção da Kia Motors no Brasil, dirigida pelo grupo Gandini, quer recuperar em 2013 o espaço perdido no ano passado, quando registrou uma queda superior a 20% por conta da nova política de impostos para automóveis importados, que pagam mais IPI. "Este será um ano de retomada, no qual planejamos crescer ao menos 10% com cerca de 45 mil carros vendidos. Estamos confiantes", afirmou José Luiz Gandini, presidente da empresa representante da montadora coreana no País, durante o lançamento do novo Cerato e Sorento em Itaparica (BA).

E, para essa recuperação, a Kia apostará em lançamentos, oito ao todo, como prometeu o diretor da marca. Além dos novos Cerato, que já esta nas lojas, e o Sorento, que chega em maio, a montadora também antecipou a chegada dos modelos Cadenza com novo visual em julho, Cerato hatch em agosto, nova Carens em setembro, Optima reestilizado em outubro e o Cerato cupê em novembro. Já no início de 2014 desembarca a nova geração do Soul. "Ele chega no primeiro trimestre, podem esperar", avisou Gandini. Além deles, a Kia estreará no segmento de luxo com o sedã Quoris.

O assunto "fábrica da Kia no Brasil" também voltou à tona durante o evento de estreia do Cerato. "Nos vamos ter uma fábrica no Brasil, podem ter certeza. Mas ainda não sabemos quando nem como ela será elaborada, seja por nosso próprio esforço, por ação dos coreanos ou por intermédio de uma joint-venture", contou Gandini, que afirmou ainda que sua empresa possui capital suficiente para arcar a empreitada. "Isso, infelizmente, não depende só de mim", completou.

O presidente da Kia no Brasil ainda contou que caso o plano de construir uma fábrica seja aprovado, a preferência seria por uma instalação no estado de São Paulo. "Já fomos sondados por diversos estados, mas acredito que em SP seria mais viável pelo fato de a região reunir uma boa quantidade de fornecedores", completou.

Internet e novela

Por causa da queda nas vendas em 2012, a Kia teve de cortar boa parte de sua verba para publicidade, tanto que a marca não vai renovar sua parceria com o time de futebol Palmeiras, que estampa o logo da marca coreana nos uniforme, tampouco vai continuar com o patrocínio a Copa do Brasil. "Vamos partir para outras mídias, o forte hoje é a internet", explicou Gandini.

Segundo o executivo, a empresa planeja gastar R$ 50 milhões em publicidade em mídias sociais e grandes portais. "Também renovamos nossa ação de merchandising com a Rede Globo para promovermos nossos carros durante as novelas em horário nobre", completou.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!