Mitsubishi relança a picape L200 Savana

Versão traz com visual e diversos equipamentos e acessórios off-road e chega na linha 2022 com preço de R$ 204.990
Mitsubishi L200 Triton 2022

Mitsubishi L200 Triton 2022 | Imagem: Divulgação

A L200 Savana está de volta. A Mitsubishi anunciou nesta quinta-feira,29, que a versão com pegada off-road passa a fazer parte da linha 2022 da picape média. É a quarta vez que a série especial é lançada no Brasil que produz a picape desde 1998.

Equipada com motor 2.4 turbodiesel de 190 cv e bloco de alumínio, a L200 Savana tem preço sugerido de R$ 204.990, segundo a marca.

A versão traz diversos diferenciais em relação à L200 tradicional, como um snorkel que permite que a picape consiga transpor trecho alagados com até 70 cm de altura.

O modelo é equipado com pneus Pirelli MTR 255/70 R16, 80% off-road e 20% on-road e um bagageiro no teto com capacidade para até 50 kg e que inclui uma prancha de desencalhe, para ser usada em situações extremas no fora-de-estrada.

Veja galeria de imagens da nova L200 Savana

Além da cor amarela das fotos, a L200 Savana é vendida nos tons bege, azul, vermelho branco e verde. Já o interior é toda na cor preta além de tapetes de borracha vulcanizada.

Assim como outras versões, a L200 Savana possui tração 4x4 de acionamento eletrônico com seletor no console central. Como complemento, a picape possui bloqueio do diferencial traseiro.

Para comprovar a vocação off-road, a caminhonete da Mitsubishi possui ângulos generosos de ataque, saída, rampa e inclinação lateral além de altura do solo de 220 mm.

Mitsubishi L200 Triton 2022
Mitsubishi L200 Triton 2022
Imagem: Divulgação

Nova geração em 2022

A L200 vive um período de baixa no Brasil, ocupando o 5º lugar nas vendas de picapes médias. A Mitsubishi acabou ultrapassada pela Nissan Frontier neste ano e só não caiu para o último lugar porque a Amarok vive uma entressafra de produção na Argentina.

Aliás, a L200 é uma das duas picapes que não são feitas no país vizinho, que virou uma espécie de meca da categoria – a outra é a S10, produzida em São José dos Campos.

Nos bons tempos do modelo, os emplacamentos passavam de 20 mil unidades por ano, mas desde 2015 a picape média vem perdendo espaço: em 2020 foram menos de 10 mil veículos. A realidade do mercado, no entanto, tem priorizado justamente o aspecto urbano, como se vê nas volumosas vendas da Fiat Toro, uma picape com carroceria monobloco.

Em 2022, no entanto, o panorama deverá mudar com a apresentação mundial da nova geração da L200. Espera-se, inclusive, que exista uma sinergia grande com a Nissan e a Renault, hoje ‘sócias’  numa aliança global.