Nova geração do sedã de luxo Lexus LS virá ao Brasil em 2018

Maior sedã da marca japonesa rompeu com seu estilo conservador na 5ª geração
Lexus LS 2018

Lexus LS 2018 | Imagem: Divulgação

Não foi fácil para as marcas japonesas romperem com um estilo conhecido pelo conservadorismo. Para a Toyota, isso foi ainda mais complicado já que a montadora é conhecida pela sua previsibilidade. E quanto à marca de luxo Lexus, cuja pretensão de rivalizar com o trio de ferro alemão sempre foi um objetivo nato?

Pois esse momento chegou. Com a nova geração do sedã LS, a Lexus encerrou um período de sua curta vida, de apenas 28 anos. Nascida para dar aos clientes da Toyota uma opção mais luxuosa, a Lexus sofreu para tentar igualar a imagem de marcas como BMW, Mercedes e Audi, mas hoje já é considerada a mais bem sucedida grife japonesa em matéria de carros de luxo.

Seus modelos mais novos revelam traços ousados e desempenho que em nada (ou pouco) devem aos concorrentes europeus. Mas o LS era a última trincheira do passado. Com seus traços conservadores, o sedã mais luxuoso da Lexus ficava aquém da expectativa, algo que a 5ª geração definitivamente superou.

Spindle Grill

Recém revelado, o novo LS assimilou os novos conceitos estéticos da Lexus, com direito à grade “Spindle Grill”, que converge para o centro e muda de forma conforme o ângulo em que se observa o veículo. Os faróis, com LEDs e xênon, tem um desenho ousado em formato de S e o para-choque impressiona pela agressividade.

Na lateral, o novo LS nos lembrou uma Maserati, ou seja, está nítido o perfil “cupê” do modelo, uma tendência no segmento de luxo há bastante tempo. Para reforçar esse aspecto mais esportivo, o sedã é equipado com rodas de aro 20 polegadas. A traseira, por sua vez, chama a atenção pelos contornos metálicos em volta das lanternas e tampa do porta-malas. Em suma, um carro que não lembra em nada a geração anterior.

A Lexus equipou o sedã com um motor 3.5 litros V6 twin-turbo de 422 cv de potência em lugar do V8 aspirado anterior que trazia 30 cv a menos. A transmissão automática de 10 velocidades é a mesma que estreou no cupê LC 500, revelado tempos atrás.

Híbrido

Além da versão a gasolina, o LS 2018 conta também com opção de propulsão híbrida que une um V6 3.5 litros (mas de ciclo Atkinson) com dois motores elétricos e baterias de íon de lítio. Combinados, eles geram 359 cv e um torque capaz de levar o sedã de 0 a 100 km/h em 5,1 segundos – a tração de ambos é traseira, mas há opção integral.

A lista de equipamentos avançados é tão extensa que se a detalhássemos o texto iria longe. Para assistir o motorista na condução, a Lexus equipa o modelo com o VDIM, Vehicle Dynamics Integrated Management (gerenciamento integrado e dinâmico do veículo). Na prática, ele coordena o funcionamento de vários recursos como ABS, controle de tração e estabilidade, direção elétrica, raio de giro do volante e o controle dinâmico do eixo traseiro, entre outros.

Há também aquela “suíte” de gadgets capaz de facilitar a vida do motorista, como assistente de percurso, aviso de pré-colisão, controle de cruzeiro por radar, que combinados formam pacote “CoDrive”, que de direção autônoma, ou quase isso.

Mas se o assunto é o interior nem é preciso enumerar a qualidade do acabamento ou esmero dos painéis e sistemas que transformam o LS numa limusine futurista. Basta apenas dizer que o sistema de som premium conta com o “Active Noise Control”, aquele recurso de alguns fones de ouvidos e que é capaz de cancelar algumas frequências de ruído de forma a manter o habitáculo no silêncio digno de monastério.

A caminho do Brasil

E acredite, o novo LS 2018 será vendido no Brasil, confirma a Lexus. A chegada do sedã mais luxuoso da marca está marcado para o segundo semestre do ano que vem em versão ainda não revelada.