Novas regras garantem VW Gol, Voyage e Saveiro até 2024

Compactos da VW devem seguir em linha por conta da realidade atual do mercado
Volkswagen Voyage 2019

Volkswagen Voyage 2019 | Imagem: Divulgação

Além de todo o impacto na cadeia produtiva, com a falta de componentes forçando muitas fabricantes a realizar paradas técnicas em suas linhas de montagem, a pandemia da Covid-19 também vai acarretar em muitas mudanças no planejamento estratégico das montadoras.

Precisando usar muitos recursos em caixa para lidar com as despesas de fábricas e concessionárias fechadas por conta do isolamento social, muitos projetos das grandes montadoras que estavam em desenvolvimento precisaram ser postergados. Além de suspender o trabalho em novos modelos, as fabricantes alegaram — e foram atendidas pelo governo — que não teriam condições de atender às novas normas de segurança previstas para entrar em vigor no ano que vem por conta dos custos envolvidos e as limitações técnicas (uso de laboratórios, por exemplo) impostas pela pandemia.

Com isso, segundo apurou o colunista Fernando Calmon, a Volkswagen conseguirá manter os atuais Gol, Voyage e Saveiro em nosso mercado até janeiro de 2024, quando provavelmente já deverão ser substituídos por novos modelos em desenvolvimento. Segundo a resolução 799 do Contran, publicada no fim de 2020, a obrigatoriedade dos controles de tração e estabilidade para todos os carros vendidos no Brasil será postergada de janeiro de 2022 para janeiro de 2024. Vale a ressalva de que a aplicação da importante dupla de segurança ativa será obrigatória em pelo menos 50% da produção de cada montadora a partir de janeiro de 2023.

A obrigatoriedade da luz de condução diurna (DRL na sigla em inglês) nos carros novos vendidos no Brasil também foi alterada para janeiro de 2024, ampliando o prazo para as montadoras em mais um item de segurança.

Vale destacar que o Volkswagen Gol atualmente é o 5º carro mais vendido no Brasil, atendendo em especial consumidores corporativos. No acumulado de janeiro a abril, o Voyage, por sua vez, vendeu mais do que o Virtus, enquanto a Saveiro, apesar da participação de mercado bem menor em relação à Fiat Strada, ainda mantém um sólido volume de emplacamentos na média de 2.500 unidades/mês. Portanto, o trio segue relevante para a Volkswagen.

Com o recente anúncio da marca alemã de que vai retomar seus investimentos em Taubaté (SP), onde atualmente são produzidos o Gol e o Voyage, é praticamente certo que o sucessor do hatch está garantido. Do seu projeto, inclusive, poderá derivar um inédito crossover compacto, como abordamos. De olho em um segmento mais rentável, talvez a Volkswagen siga os passos da GM e deixe de atuar na categoria de picapes compactas, focando em modelos compactos-médios como a Fiat Toro. Assim como a sucessora da Chevrolet Montana deverá crescer em porte, a Volkswagen deverá apostar suas fichas na Tarok. Revelada como conceito no Salão de São Paulo em 2018, a novidade deverá ser produzida na Argentina compartilhando diversos elementos da estrutura com o SUV médio Taos.

Resta a dúvida se o Voyage terá um sucessor direto ou a Volkswagen seguirá na categoria de sedãs compactos apenas com o Virtus, o que parece mais plausível. Assim como o Polo ganhará uma versão mais acessível produzida em Taubaté, a VW poderia adotar a mesma estratégia também para o Virtus, criando uma opção de baixo custo para atender os consumidores do Voyage atual.

Ainda segundo a coluna mais recente de Fernando Calmon, o VW Fox, que já estreou o modelo 2022, deverá sair de linha em dezembro deste ano. 

Em paralelo, de acordo com Calmon, a introdução da nova fase mais restritiva (PL 7) do programa de emissões e ruído Proconve a partir de 1° de janeiro de 2022 deverá fazer com que os Fiat Uno, Doblò e Grand Siena tenham sua produção encerrada em 31 de dezembro deste ano, mas haverá um estoque transitório no começo de 2022. A nova fase PL 7 preconiza que emissões evaporativas serão reduzidas a apenas 0,5 g/dia em testes de 48 horas. Tanques de combustível terão que ser modificados, como na Fiat Toro 2022, por exemplo, que diminuiu de 60 para 55 litros.

Volkswagen Saveiro 2020
Volkswagen Saveiro ainda mantém boa média de emplacamentos
Imagem: Divulgação