Carros que já passaram da data de validade no Brasil

O fim da Mitsubishi Pajero Full marcou a despedida de um dos modelos mais antigos à venda no país, mas lista de veículos desatualizados ainda é significativa
Fiat Uno 2019

Fiat Uno 2019 | Imagem: Divulgação

O ano de 2021 tem sido marcado por muitas despedidas, algumas programadas, outras nem tanto. Em comum, elas foram causadas pelo encolhimento do mercado automobilístico brasileiro e uma mudança evidente nas preferências do consumidor.

Modelos como os hatches compactos March e Etios saíram de cena por conta de um foco diferente de Nissan e Toyota enquanto a Ford tirou de campo veículos que tinham boa aceitação no mercado, mas que causavam prejuízos.

Para alguns veículos, no entanto, foi uma questão de bom senso. É o caso da Pajero Full, emblemático SUV que teve seu período de glórias na virada do século. Naquela época, ainda se valorizava o apetite off-road, robustez e porque não dizer também o ar rústico desses modelos.

O mundo mudou e hoje a Mitsubishi investe em crossovers mais urbanos e confortáveis, tornando o “Pajerão” peça de museu. A renovação dos produtos no Brasil, no entanto, ainda não está concluída. A lista de veículos datados encolheu, mas tem vários integrantes. Veja alguns deles:

Volkswagen Fox

Lançado em 2003, o hatch com estilo minivan demorou um pouco a pegar, mas tem sido um veículo que aceitou muito bem melhorias ao longo do tempo, graças à plataforma versátil e ao seu bom espaço interno. O modelo resiste no portfólio da Volks com a linha 2022, mas não vai longe, possivelmente substituído pelo Polo “popular” que a marca prepara.

Fiat Grand Siena

Embora seja um sedã lançado há menos de uma década, o Grand Siena aproveita a antiga plataforma que deu origem à primeira geração do Palio. Foi uma solução possível em 2013, mas que nunca se mostrou suficiente já que o mercado ganhou vários concorrentes melhores. Embora ainda tenha um volume razoável, o modelo deve sair de cena no final do ano, como o colunista Fernando Calmon apurou.

Fiat Doblò

Outro cuja morte está praticamente anunciada é o Doblò. A multivan da Fiat é uma sobrevivente nesses anos em que o mercado se transformou. A despeito do preço elevado e das formas já bem desatualizadas, o Doblò é um veículo raro, o que contribui para encontrar uma demanda pequena, mas fiel. Assim como o Siena, também ele deixará de ser vendido em 2022, segundo Calmon.

Volkswagen Fox
Volkswagen Fox
Imagem: Divulgação

Suzuki Jimny

Assim como o Pajero Full, o pequeno Jimny é um SUV à moda antiga, com chassi separado da carroceria e perfil mais fora-de-estrada que urbano. Como é montado pela HPE (representante da Suzuki no país) em Goiás, o modelo tem sobrevivido mesmo com a chegada do sucessor, o bem mais moderno Jimny Sierra.

Fiat Uno

A segunda geração do Uno chegou ao mercado brasileiro em 2010, desenvolvida sobre a base do Palio. Se não era um avanço tecnológico para a época (como seu antecessor), o novo carrinho agradou em cheio pelas soluções bem boladas. Mas o namoro com o mercado durou pouco, atropelado por uma enxurrada de lançamentos mais modernos e atraentes. Desde então, hatch se mantém como figurante na Fiat, ofuscado pelo menor (e pior) Mobi. Apesar de ainda responder por um volume significativo de vendas, o Uno é outro a deixar o mercado no final do ano, segundo Calmon.

Peugeot Partner

Rival do Doblò, a Partner ainda é vendida pela Peugeot, que a importa da Argentina, mas apenas na versão furgão. Trata-se de um carro já desconectado há tempos da evolução da família, que na Europa já está na 3ª geração, assim como seu clone Berlingo, da Citroën. A marca francesa ainda tentou dar um ar de modernidade no furgão ao colocar um painel de instrumentos digital, mas a Partner não nega a idade avançada.