Novo Tiggo 7 terá opção de motor 1.6 turbo com injeção direta

Nova geração do SUV foi mostrada na China no ano passado. Modelo recebeu alterações importantes, mas não virá para cá
Acima o Tiggo 7 atualizado vendido na China

Acima o Tiggo 7 atualizado vendido na China | Imagem: Reprodução internet

No final do ano passado, a Chery apresentou um Tiggo 7 renovado no Salão do Automóvel de Guangzhou (CHN) para o mercado chinês. Apesar de o Grupo CAOA, administrador das operações da Chery no Brasil, já ter efetuado o pedido de patente para a novidade por aqui, já foi confirmado que a marca não tem a intenção de trazer a nova geração do SUV para nosso mercado tão cedo.

No entanto, a novidade acaba de ser confirmada para o mercado russo, outro país participante do bloco econômico BRICS e que tem uma realidade automotiva similar a nossa. Por lá, o novo Chery Tiggo 7 estreará até o final de setembro, quando todos os detalhes e os preços para os russos serão divulgados.

Na dianteira, o novo Tiggo 7 conta com uma grade frontal maior e um capô está menos inclinado. Os faróis também estão mais afilados, sendo montados em posição elevada e mais próximos ao capô. Na lateral, a marca adotou uma janela atrás da coluna C integrada. Já na traseira, as finas lanternas passaram a ser unidas por filete único vermelho, dando a impressão de ser apenas uma peça, enquanto a placa foi reposicionada no para-choque.

Com as mudanças, o novo Chery Tiggo 7 cresceu um pouco, mantendo o entre-eixos de 2,67 m. O SUV passa a ter 4,50 m de comprimento, 1,74 m de altura e 1,84 m de largura. Na China, o modelo pode ter motor 1.5 turbo de 156 cv, similar ao flex oferecido no Brasil, mas também pode contar com um novo 1.6 turbo com injeção direta e potência na casa de 200 cv. E é na parte mecânica que a maior diferenciação deve ocorrer para a Rússia.

Por lá, há uma taxação maior para modelos com potência superior a 150 cv. Assim, o novo Chery Tiggo 7 que será oferecido no mercado russo deverá contar com uma interação mais antiga do 1.5 turbo, entregando 147 cv e 21,4 kgfm de torque, sempre com tração dianteira e associado a uma transmissão automática de relações continuamente variáveis (CVT). Aqui no Brasil, por sua vez, o 1.5 turbo trabalha com uma transmissão de dupla embreagem. 

Enquanto na China o Tiggo 7 é oferecido na versão convencional e na variante Pro, mais luxuosa, os russos devem receber apenas a última, que conta com um acabamento mais aprimorado e uma grade em matriz de pontos no lugar dos filetes cromados. Para a lista de equipamentos, espera-se a inclusão de itens como painel de instrumentos digital, central multimídia com tela de 12,3 polegadas, ar-condicionado automático comandado por tela sensível ao toque, teto-solar panorâmico e controle de cruzeiro adaptativo. 

O fato do novo Tiggo 7 contar com a motorização 1.6 turbo ao menos na China é uma notícia animadora, uma vez que ele poderá oferecer esse propulsor mais eficiente também quando for nacionalizado e ganhar bem mais competitividade no segmento de SUVs médios. O motor 1.6 turbo com injeção direta, de qualquer forma, está previsto para estrear ainda neste ano no Brasil figurando no Tiggo 8. 

Acima o Tiggo 7 atualizado vendido na China
Acima o Tiggo 7 atualizado vendido na China
Imagem: Reprodução internet
Assine a newsletter semanal do AUTOO!