Um dos poucos destaques do estande da Honda no Salão do Automóvel, o novo Accord já está sendo divulgado no site da marca na internet, incluindo seu preço de R$ 198.500. Com isso, o sedã de luxo, que já está à venda, passa a ser o automóvel mais caro da Honda no Brasil, à frente do SUV CR-V.

A 10ª geração do sedã deu um enorme salto de tecnologia ao incorporar itens como motor 2.0 litros turbo com injeção direta com252 cv e quase 38 kgfm de torque, câmbio automático de 10 marchas (o primeiro modelo com tração dianteira e ter esse equipamento, segundo a marca), seletor de marchas eletrônico com trocas no volante, além de uma central multimídia inédita, entre outros.

A grande novidade para o Brasil, no entanto, o pacote Sensing, que reúne os sistemas de segurança ativa e direção semiautonoma da Honda e está incluído como item de série. Até então, esses recursos não eram oferecidos no país por conta da sua homologação. Com a introdução no Accord o caminho para tê-los em outros modelos está aberto.

O Sensing inclui controle de cruzeiro adaptativo (ACC), sistema de frenagem para mitigação de colisão, ou seja, o carro atua caso o motorista não freie o suficiente, assistente de permanência na faixa de rolagem e de evasão da pista. A Honda, no entanto, faz severas advertências sobre o uso desse conjunto de sensores.

Mais em conta que o Camry

O segmento de sedãs de luxo no Brasil é dividido entre os modelos alemães e o resto. Com exceção do Ford Fusion, que vem do México com preço mais baixo, os demais carros mais vendidos são de Mercedes-Benz, BMW, VW e Audi.

Por isso não se deve esperar muito do novo Accord em matéria de emplacamentos. O novo sedã dá um banho de tecnologia em seu rival tradicional, o Camry, da Toyota, que ainda insiste num motor V6 3.5 litros, e custa mais caro – salgados R$ 206.200 -, mas está muito acima do preço do Passat que tem alguns itens de direção autônoma como ACC, motor 2.0 TSI e câmbio de dupla embreagem. O preço do alemão parte de R$ 164.620.

Ou seja, o Accord deve permanecer entre o 10º e o 12º lugar no ranking com um volume anual na casa das 200 a 300 unidades caso o mercado brasileiro mantenha o ritmo de aquecimento e o dólar não volte a subir.

É um cenário bem diferente do americano onde o Accord e o Camry acumulavam 60 mil e 90 mil emplacamentos em 2018, respectivamente.

 
 
Honda Accord 2018
 
Honda Accord 2018
Honda Accord 2018
Honda Accord 2018
 
Honda Accord 2018
Honda Accord 2018
Honda Accord 2019
 
Honda Accord 2019
Honda Accord 2019
Honda Accord 2019
 
Honda Accord 2019
Honda Accord 2019
Honda Accord 2019
 
Honda Accord 2019
Honda Accord 2019
Honda Accord 2018
 
Honda Accord 2018
Honda Accord 2018
Honda Accord 2018
 
Honda Accord 2018
Honda Accord 2018
 
 
Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/