Opel planeja retorno à América do Sul, mas não ao Brasil por enquanto

Agora nas mãos do grupo PSA, marca alemã atualmente só opera no Chile. Colômbia e Equador estão nos planos
Opel Grandland X

Opel Grandland X | Imagem: Divulgação

A Opel passou duas décadas nas mãos da General Motors operando no vermelho. Controlada pela Peugeot-Citroën (PSA) desde 2017, a marca voltou a dar lucro e, depois de anos enxugando suas operações, planeja voltar a ampliar sua presença na América do Sul.

Os dois primeiros países da região que devem receber novamente os modelos da Opel serão Equador e Colômbia, por meio de uma parceria da marca com importadores locais. A empresa já teria escolhido inclusive os modelos que serão disponibilizados: os SUVs Crossland X e Grandland X.

Em um segundo momento, alguns modelos comerciais como Combo Cargo e Vivaro também chegarão a esses dois mercados, seguidos pela nova geração do Opel Corsa, que compartilha a plataforma com o Peugeot 208 que está prestes a ser lançado no Brasil sendo produzido na Argentina.

A expansão das operações em novos mercados faz parte de um plano de recuperação chamado PACE!. Combinando mudanças na gestão e reestruturando os custos, foi responsável por trazer a Opel de volta à lucratividade. Até o momento, a marca manteve sua presença em nossa região operando apenas no Chile.

A meta de expansão do plano é alcançar 20 novos países até 2022, sendo que já estão confirmados os mercados de Colômbia, Equador e Rússia, além de Ucrânia, Israel, Marrocos, Líbano, Tunísia e África do Sul. A meta da Opel é chegar até 2025 com 10% das vendas concentradas em mercados fora da Europa. No entanto, o Brasil permanece fora desse planejamento.

Opel Crossland X
Opel Crossland X
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!
Tags