Preço dos carros usados e seminovos dispara em março

Mesmo com uma leve queda nas vendas do setor, valores seguem com movimento de alta
Usados: público busca levantar dinheiro vendendo o carro atual

Usados: público busca levantar dinheiro vendendo o carro atual | Imagem: Agência Brasil

Entre os efeitos da pandemia no comportamento do público, apontam especialistas, figura a migração de uma boa parte do público para meios de transporte individuais, com o carro ocupando grande destaque. Em especial para fugir das aglomerações no transporte público e evitar o contágio pelo novo coronavírus, o setor de carros usados desponta como a porta de entrada para muita gente que está em busca de um veículo acessível para uso diário. 

Só que a realidade do mercado brasileiro está longe de trazer preços amigáveis também entre os automóveis com mais tempo de uso. De acordo com o mais recente Monitor de Variação de Preços (MVP) da KBB Brasil, os veículos seminovos (até 3 anos de uso) apresentaram um reajuste médio acima dos 4% em março, enquanto os usados registraram aumentos de 5% no mesmo período. Para os carros 0 km, a alta nos preços gravitou em torno de 2%. 

Desde setembro de 2020 o MVP produzido pela KBB Brasil não registrava acréscimo médio acima de 1% para os carros 0 km em um único mês. No caso de março, a variação bateu os 1,87% de média, com destaque para os veículos novos com ano/modelo 2020, cujo reajuste médio alcançou 2,50%”, destaca a empresa especializada na precificação de carros novos e usados. 

Este aumento mais acentuado nos preços dos carros 0 km foi observado num contexto em que, segundo a Anfavea (associação das fabricantes), 14 montadoras chegaram a interromper suas produções por conta de escassez de matéria-prima e impactos da pandemia no final do mês passado (ainda que o resultado da produção de veículos tenha sido 1,7% positivo em março). As dificuldades que a indústria vem enfrentando para atender a demanda dos consumidores por carros novos pode explicar, em parte, o reajuste de preço mais elevado em veículos com ano/modelo 2020 ou 2019”, completa a análise da KBB Brasil. 

Entre os carros seminovos com até três anos de uso, a variação média de preços do mês de março chegou a 5,32% para os carros com ano modelo 2018. Já no caso dos usados com até 10 anos de uso, o pico da média de reajuste ficou com o ano modelo 2015, com 5,96% de variação. 

Estes comportamentos de preços dos seminovos e usados persistiram mesmo em um mês com sinais de arrefecimento da demanda do setor, sobretudo por conta das medidas de circulação e atividade econômica mais restritivas adotadas na maior parte do território nacional, devido à situação atual da pandemia. De acordo com dados da Fenauto (federação dos revendedores), embora em março o segmento tenha registrado cerca de 4,4% de aumento no número de automóveis e comerciais leves transacionados, o resultado teve mais a ver com o maior número de dias úteis do mês do que com a demanda no período, uma vez que a média diária de vendas foi 14% menor (incluindo motos e veículos pesados)”, conclui a KBB Brasil.