Renault venderá apenas carros elétricos na China

Participação da marca na produção de carros convencionais será transferida integralmente para parceira chinesa
Acima o conceito Dacia Spring

Acima o conceito Dacia Spring | Imagem: Divulgação

Com o mercado chinês dando os primeiros sinais de recuperação, a demanda por carros elétricos por lá deve voltar a subir. A Renault já anunciou um novo plano estratégico para a China onde deverá comercializar apenas a sua linha de veículos de passeio 100% elétricos naquele país.

Os carros de passeio hoje comercializados pela marca, linha composta hoje por Captur, Kadjar e Koleos, devem trocar de mãos. Na China, a Renault opera em uma joint-venture chamada Dongfeng Renault Automotive Company Ltd (DRAC) e sua participação nessa parceria, que contempla os veículos leves com motor a combustão, será integralmente repassada à Dongfeng Motor Corporation. A Renault explica que vai transferir integralmente as ações que possui na DRAC para sua coligada chinesa.    

"Os desenvolvimentos futuros dos carros de passeio da marca Renault serão detalhados posteriormente, em um novo plano de médio prazo do Grupo. A Renault e a Dongfeng continuarão sua cooperação com a Nissan em motores de nova geração, como o fornecimento de componentes para a DRAC e a licença para motores a diesel para a Dongfeng Automobile Co., Ltd. A Renault e a Dongfeng também trabalharão em uma cooperação inovadora na área de veículos conectados inteligentes", explicou a fabricante francesa. 

Seus modelos comerciais devem permanecer sendo oferecidos por lá por meio da Renault Brilliance Jinbei Automotive Co. Ltd. (RBJAC). Os carros de passeio eletrificados ficarão por conta das parceiras com as chinesas eGT New Energy Automotive e Jiangxi Jiangling Group Electric Vehicle.

A grande expectativa para a Renault agora é a estreia, ainda em 2021, do subcompacto urbano baseado no conceito Dacia Spring. Na prática, é uma versão eletrificada do Kwid e que promete ser o carro 100% elétrico mais barato da Europa. Na Índia, a Renault já exibiu o K-ZE, que segue a mesma proposta de ser um Kwid eletrificado, mas voltado ao mercado indiano. 

Em seu comunicado para a imprensa explicando os motivos da decisão, a Renault declara que "com 860.000 veículos elétricos vendidos em 2019, a China é, de longe, o maior mercado para esse segmento no mundo. As vendas de veículos elétricos devem atingir 25% do mercado chinês até 2030". “Estamos abrindo um novo capítulo na China. Vamos nos concentrar em veículos elétricos e veículos utilitários leves, os dois principais motores da mobilidade limpa do amanhã, tirando proveito, de forma eficiente, de nossa relação com a Nissan”, explicou François Provost, diretor de operações da região China do Grupo Renault. 

Acima o conceito Dacia Spring
Acima o conceito Dacia Spring
Imagem: Divulgação