Sucessoras de Frontier e L200 Triton Sport ainda demoram ''alguns anos''

Próxima geração das picapes médias da aliança Renault-Nissan será desenvolvida pela Mitsubishi
Facelift da Mitsubishi L200 apresentado na Ásia

Facelift da Mitsubishi L200 apresentado na Ásia | Imagem: Divulgação

Com as principais marcas e conglomerados automotivos globais concentrando seus esforços (e grande parte de seus investimentos) no desenvolvimento de carros elétricos e tecnologias de condução autônoma, a solução para que eles não deixem de atualizar seus produtos mais convencionais está na realização de parcerias que permitem dividir custos e horas de trabalho. Afinal, não é possível olhar apenas para alguns anos no futuro e esquecer os veículos "pé no chão" que hoje financiam as operações das grandes montadoras. 

No caso das picapes, essa união entre as diferentes empresas é algo notório. A Volkswagen e a Ford, por exemplo, deixarão a cargo da fabricante norte-americana todo o trabalho de renovação da Amarok e da Ranger.

Nos últimos anos, um fruto dessas parcerias nasceu das atuais Nissan Frontier, Renault Alaskan e Mercedes-Benz Classe X, um projeto comum entre a aliança Renault-Nissan e a Daimler que deu origem às três picapes.

Agora, segundo relata o Automotive News Europe, a aliança franco-japonesa já olha novamente para a renovação de gama e definiu que caberá à Mitsubishi trabalhar na plataforma que dará origem à nova geração de picapes médias das marcas aliadas.

“Logo depois que a Mitsubishi entrou para a aliança, fizemos um detalhado estudo técnico entre ela e a Nissan e constatamos que a Mitsubishi teria muitas vantagens sobre a plataforma da Nissan”, explicou Trevor Mann, Chief Operating Officer da Mitsubishi, durante entrevista para o periódico.

Entre as vantagens apontadas por Mann está o próprio projeto do chassi em si, além de custos logísticos e fornecimento de peças. A Mitsubishi também está melhor consolidada no Sudeste asiático, onde há uma grande demanda por picapes como a Frontier e a L200 Triton Sport.

O executivo adianta, contudo, que ainda vai demorar “alguns anos” para que essas novas picapes médias de Renault, Mitsubishi e Nissan saiam no papel. Uma certa demora pode ser compreendida, uma vez que os modelos poderão contar com tecnologias alternativas de propulsão, como variantes híbridas, que ajudarão no desempenho e na economia de combustível.

Facelift da Mitsubishi L200 apresentado na Ásia
Facelift da Mitsubishi L200 apresentado na Ásia
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!