Em uma entrevista coletiva realizada dias antes do Salão de São Paulo 2018, a Mitsubishi convidou um grupo de jornalistas para conversar com o diretor de programa e responsável mundial pela área de veículos comerciais da fabricante, o japonês Koichi Namiki.

Durante a conversa, Namiki também deu alguns detalhes do novo Pajero Sport, modelo apresentado ao público brasileiro no Salão de São Paulo e que chegará ao mercado no início de 2019. Bem mais sofisticado em relação ao Pajero anterior, o modelo mantém a opção 7 lugares e trará um bom pacote de equipamentos de tecnologia, espaço interno e propulsão para se destacar em um segmento hoje liderado pelo Toyota SW4.

Por enquanto o novo Pajero Sport será importado da Tailândia, mas, como explica Namiki, se o nível de vendas alcançar um patamar de vendas um pouco acima das 600 unidades/mês uma possível nacionalização do SUV grande poderá estar nos planos dos operadores da marca no Brasil.

O Autoo aproveitou a presença do executivo para saber mais detalhes sobre algumas estratégias da marca para o futuro.

Questionamos o engenheiro se a Mitsubishi planeja atuar em outros segmentos de mercado, com modelos acima ou abaixo da L200 Triton Sport comercializada no Brasil. “O mercado de picapes grandes, do porte da Ford F-150, Chevrolet Silverado, entre outros, é muito importante em especial nos EUA, onde reside grande demanda para esse tipo de veículo. A grande questão é que ele é muito competitivo e demanda de qualquer marca que busque atuar no segmento uma grande capacidade de investimento não só na criação dessa picape bem como em uma fábrica capaz de oferecer um bom volume de produção. No momento, isso não é algo que nós da Mitsubishi temos nos planos”, explicou o executivo.

Também aproveitamos para questionar o engenheiro como ele analisa a boa aceitação de modelos como a Fiat Toro no Brasil e se existe espaço ou intenção da Mitsubishi em trabalhar em um modelo de proposta semelhante. Vale a pena destacar que no mesmo Salão de São Paulo 2018 a Volkswagen, por exemplo, revelou o conceito Tarok, picape compacta-média que será lançada em breve no Brasil e será uma rival para o modelo da Fiat. Outra grande montadora, no caso a Hyundai, também deverá tirar do papel um modelo semelhante que até o momento está sendo desenvolvido nos Estados Unidos.

“Eu conheço a Fiat Toro e acho sim a picape um produto interessante. Na mesma linha do que pensamos no caso das picapes grandes, desenvolver uma picape concorrente para a Toro exigira um grande investimento financeiro, que, no momento, não temos previsto. Contudo estamos sempre analisando os mercados e como essas picapes evoluem”, explica Namiki.

Voltando para o universo das picapes médias, questionado se a Mitsubishi pode oferecer uma motorização diesel mais potente para a L200 Triton Sport atual, assim como a Volkswagen fez com a Amarok V6, o engenheiro admite que hoje a Mitsubishi está muito mais preocupada em aprimorar a eficiência energética de seus veículos.

Sabendo que a próxima geração da Toyota Hilux terá uma opção híbrida, o Autoo questionou o executivo da Mitsubishi se essa pode ser uma saída. “Eu vejo esse um caminho muito mais coerente em relação ao que estamos estudando hoje em dia, já que um conjunto propulsor híbrido nos permite não só reduzir consumo e emissões como também oferecer mais potência e torque com a combinação de propulsores”, respondeu.

Fato é que, com a demanda por veículos cada vez menos e poluentes e mais eficientes, a eletrificação hoje é um caminho natural que será seguido por cada vez mais modelos. No caso das picapes, será um ganho bem interessante até mesmo para reduzir o consumo e ampliar a autonomia desses modelos, atributo valorizado na categoria.

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/