Sul-coreanos não querem mais hatches e decretam fim do Hyundai Veloster

Após duas gerações, modelo terá a produção descontinuada em julho, antecipa jornal do país
Hyundai Veloster N 2022

Hyundai Veloster N 2022 | Imagem: Divulgação

Ao que tudo indica a carreira do Hyundai Veloster está chegando ao fim. 

Segundo apuração do jornal sul-coreano Hankyung, a Hyundai deverá encerrar a produção do modelo em julho.

Com a decisão, a fabricante espera aumentar a produção do sedã Avante N (ou Elantra N, como é conhecido na Europa e Américas), assim como prepara-se para a estreia da próxima geração do Kona, modelo com ótima aceitação em diversos países. 

Apostando em um design saindo do convencional, o Veloster buscou se diferenciar de outros hatches apostando no design contemplando três portas e linhas mais ousadas para a carroceria. 

O Hyundai Veloster chegou a ser importado ao Brasil em sua primeira geração, sendo comercializado entre os anos de 2011 e 2013. O motor 1.6 16V de 128 cv, entretanto, não acompanhava a pretensa aspiração esportiva do modelo, o que resultou em sua curta carreira no nosso mercado. 

Hyundai Veloster N 2022
Hyundai Veloster N 2022
Imagem: Divulgação

Porém, mesmo em seu país de origem a Hyundai também notou um espaço cada vez menor para o Veloster em seu portfólio. Por lá, onde também contava com uma variante de alto desempenho N baseada na geração mais recente, o hatch somou apenas 510 unidades vendidas em 2020. De janeiro a abril deste ano, reporta o Hankyung, apenas 99 unidades foram emplacadas por lá. 

Segundo a análise do jornal, a procura pelo Veloster N despencou quando a Hyundai introduziu na Coreia do Sul o Elantra/Avante N, configuração também de alto desempenho do três volumes. 

Apenas como comparação, também no primeiro quadrimestre deste ano o sedã esportivo foi a escolha de 1.624 sul-coreanos. 

Acima o Elantra/Avante N: entre esportivos, sul-coreanos preferem sedãs aos hatches
Acima o Elantra/Avante N: entre esportivos, sul-coreanos preferem sedãs aos hatches
Imagem: Divulgação

De acordo com o Hankyung, o público consumidor na Coreia do Sul considera que os hatches não entregam a mesma experiência de condução obtida em um sedã, bem como esses modelos não se equiparam em termos de versatilidade aos SUVs.  

Isso ajuda a explicar porque a Hyundai já havia descontinuado recentemente o Ioniq e também o i30, em 2020, na Coreia do Sul. 

Mesmo nos EUA, que ainda era o principal mercado consumidor do Hyundai Veloster, a procura pelo hatchback também está despencando. Em 2021, apenas 2.112 unidades do Veloster foram vendidas por lá, sendo que, no primeiro trimestre deste ano, apenas 462 unidades ganharam as ruas do país norte-americano. 

Será que os sul-coreanos estão antecipando uma tendência que ganha força em cada vez mais mercados? Tudo leva a crer que sim... 

Hyundai Veloster 2011
Primeira geração do modelo foi comercializada por um breve período no Brasil: acima o Hyundai Veloster 2011
Imagem: Divulgação