O Sandero fez seu aniversário de 10 anos semanas atrás. Lembro que o modelo foi uma surpresa no mercado nacional quando surgiu no final de 2007. Não houve flagras nem rumores a respeito dele antes que fosse divulgado pela Renault em primeira mão no Brasil. O nome já causava estranheza: “Sandero” soava como “Saveiro” ou “Pandeiro” e parecia uma péssima escolha assim como a expectativa a respeito de um hatch que nascia da costela do Logan, sedã de visual apavorante e acabamento chinfrim em 2006, quando chegou por aqui.

Mas o Sandero "pegou". Muita gente se recusava até a associá-lo ao Logan por conta do visual mais bem resolvido da primeira geração. A grande sacada do carro era o espaço interno. Ele chegava a ser mais espaçoso que um Golf IV, modelo de porte médio. A parte mecânica era idêntica a do Logan, o que não era por assim dizer uma virtude.

E mesmo com esses pontos contra o Sandero vendeu bem e é desde 2008 o Renault mais vendido no Brasil. Em 2014 veio a segunda geração, que corrigiu alguns defeitos do anterior como a péssima ergonomia, o visual e até mesmo o acabamento. Não que o Renault seja um primor mas naquele ano ele pôde se equiparar a alguns concorrentes mais novos – ou pelo menos não fazer feio perante eles.

Com uma gama muito extensa, preços competitivos e bons equipamentos como a central MediaNav, o Sandero foi em 2017 o 6º carro mais vendido do país. Uma senhora marca, mas que agora parece distante de ser repetida. A razão é que o mercado de hatches compactos está passando por uma renovação imensa e o que era vantagem antigamente agora não é mais exclusividade do modelo da Renault.

A linha 2018, é verdade, ganhou aprimoramentos no ano passado que mantiveram o Sandero como uma compra bastante racional em alguns sentidos. Ainda assim, há deficiências que são difíceis de serem sanadas. Fato é que o Sandero já não vende bem desde a chegada do irmão menor, o Kwid. Pode ser um problema de produção, mas também a constatação que os novos concorrentes e o próprio fogo amigo já estão ofuscando o modelo. Mas, afinal, vale a pena comprar um Sandero ainda?

Motor salvador

A versão avaliada pelo Autoo aqui é a Expression 1.0, opção logo acima da Authentique e que é mais vendida do modelo. A Expression é a vice-líder na preferência, mas provavelmente deve ser a preferida do público final já que a Renault vende o Sandero para frotistas e locadoras, por exemplo. Nesses casos, geralmente a versão escolhida é a mais simples.

A grande novidade do Sandero 1.0 é o motor SCe, de três cilindros e 12 válvulas. Trata-se de um propulsor potente e econômico com 82 cv de potência e mais de 10 kg de torque. Ele é capaz de rodar mais de 9 km com um litro de etanol ou 14 km com gasolina, tanto na cidade quanto na estrada.

 

 

A Renault também aprimorou alguns itens como o câmbio manual e a direção, que passou a ter a atuação elétrico-hidráulica. No entanto, o efeito dessas melhorias apenas amenizou pontos fracos do carro que continua pesado e cansativo de dirigir.

O câmbio mantém o longo curso de engate e continua vibrando em ponto morto, já a direção é pesada, lenta e esterça pouco. A compensação vem no bom desempenho do motor que mesmo com cinco pessoas e bagagem consegue entregar um desempenho adequado.

Ex-maior da categoria

Se não agrada ao volante, o Sandero sobra em espaço interno. Não chega a ser tão grande quanto o Logan pelo entreeixos menor, mas ele é largo (1,4 m no banco dianteiro) e alto por dentro. O problema é que essa vantagem era gritante com rivais como o Celta ou o Palio. Comparado ao novo Polo, por exemplo, o Sandero até perde no espaço longitudinal e empata nas demais dimensões. Já o porta-malas segue o maior da categoria, com 320 litros, mas a vantagem é pequena frente a alguns concorrentes.

 
 
Renault Sandero 2018
 
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
 
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
 
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
 
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
 
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
 
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
 
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
 
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
 
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
 
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
 
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
 
Renault Sandero 2018
Renault Sandero 2018
 
 

Central acessível

Na lista de equipamentos de série, o Sandero não faz feio. Traz direção assistida, ar-condicionado, rodas de aro 15 (calotas), vidros elétricos dianteiros, regulagem de altura do volante e comando satélite do rádio, mas deve na ausência de bancos com sistema Isofix, item comum em novos competidores.

Um diferencial do carro é a central MediaNav, que é opcional, mas tem o preço mais acessível do mercado. Custava em janeiro R$ 1.300, um pouco mais barata que a popular MyLink do Onix. É um sistema fácil de usar e que conversa com o Carplay e o Android Auto. Além disso, tem uma função interessante que estimula uma condução mais econômica.

Muitas opções

Ao contrário do primeiro Sandero, a atual geração tem um estilo bem resolvido, mérito do designer holandês Laurens Van der Acker, que tem conseguido criar uma marca bastante atraente para a Renault. É um carro de linhas limpas sem adendos estéticos que poluem o visual, um sinal da qualidade do trabalho do design da marca francesa.

Em resumo, o Sandero na versão Expression 1.0 tem um pacote interessante para quem leva mais em conta espaço interno e alguns itens de série. O problema é que hoje alguns concorrentes trazem mais do que ele em todos os sentidos, como é o caso do novo Polo. A versão popular do Volks custa um pouco mais, é verdade (R$ 2.300 em janeiro de 2018), mas vem equipada com mais itens de segurança como quatro airbags, isofix e uma carroceria que teve cinco estrelas no teste do Latin NCAP. Sem falar numa dirigibilidade bem superior. E ainda temos no mercado do Argo, o HB20, o Ka, o Onix...

Ficha técnica

Renault Sandero 2018 Expression 1.0 12V flex manual 4p
Preço R$ 47.700 (01/2018)
Categoria Hatch compacto
Vendas em 2017 67.352 unidades
Motor 3 cilindros, 999 cm³
Potência 79 cv a 6300 rpm (gasolina)
Torque 10,2 kgfm a 3500 rpm
Dimensões Comprimento 4,06 m, largura 1,733 m, altura 1,536 m, entreeixos 2,59 m
Peso em ordem de marcha 1011 kg
Tanque de combustível 50 litros
Porta-malas 320 litros
Veja ficha completa

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |