Demorou, considerando que o Fiat Argo foi lançado no fim de maio, mas finalmente a nova geração do Volkswagen Polo, a sexta na história do modelo e a segunda oferecida aqui no Brasil, começa a chegar às lojas. Por enquanto no regime de pré-venda, mas em novembro a rede Volkswagen já estará plenamente abastecida. 

A ambição da Volkswagen com o Polo 2018 é pelo menos figurar no “top 5” do ranking de vendas brasileiro, sendo que, pelo ritmo atual do mercado, isso significa vender pelo menos uma média de 7.000 unidades/mês. O Fiat Argo, que já está ganhando fôlego nas vendas, registrou 4.075 unidades emplacadas no mês passado.

O novo Polo chega com uma estratégia parecida com a do Argo, até então seu concorrente mais direto em termos de proposta, tamanho e valores. Assim como o Fiat, o Polo conta com uma oferta até que ampla de motores, contempando o 1.0 tricilíndrico aspirado, o 1.6 16V e o 1.0 TSI com turbo e injeção direta para aqueles que buscam um modelo com melhor desempenho e mais sofisticado no conteúdo.

Adotando uma nova estratégia de oferecer um catálogo de versões mais enxuto, o que facilita não só a vida do cliente como também dos concessionários e até mesmo a fabricação dos carros, o Polo terá apenas quatro versões. Vamos centrar nosso primeiro teste com o Polo 2018 em sua opção topo de linha Highline, a qual também nos permite avaliar tudo o que o hatch é capaz de entregar. É inegável que, como você vai perceber nas próximas linha, traçar um paralelo com o Fiat Argo acaba sendo inevitável. 

Pois bem, o Polo Highline 200 TSI (lembrando que o “200” é uma referência ao torque de 200 Nm produzido pelo motor 1.0 TSI na calibração adotada para o Polo) chega ao mercado com preço sugerido de R$ 69.190. Por esse valor, o hatch traz um pacote de equipamentos bem interessante, com destaque para a chave presencial, partida por botão, ar-condicionado automático digital, rodas de liga leve aro 16”, central multimídia com sistemas de espelhamento para smartphones, dentre outros.

Quem quiser colocar o revestimento de couro original de fábrica no Polo Highline terá que gastar mais R$ 800. O pacote de opcionais “Tech High”, que, dentre outros equipamentos, adiciona central multimídia mais completa com navegador integrado, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis e os sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, precisará investir mais R$ 3.585 (ou R$ 2.800 em caráter promocional no lançamento). Já o “Technology Pack” acrescenta um dos itens mais interessantes do Polo 2018, no caso o painel de instrumentos digital composto por uma tela de 10,2”, além das rodas de liga leve aro 17” e tudo o que já está incluído no kit “Tech High”. O preço do “Technology Pack” no lançamento será de R$ 4.500, mas vai aumentar para R$ 5.990 ao longo dos próximos meses.

Com isso, quem quiser ter um Polo completão na garagem precisará pagar R$ 74.490 no momento, ou R$ 75.980 se a ideia for adquirir o modelo depois que a febre do lançamento passar.

Claro que a primeira coisa que passa pela cabeça é comparar tudo isso com o Fiat Argo, cenário onde o novo VW Polo mostra-se uma compra mais interessante. 

Se você tem a disponibilidade de partir para a compra de um hatch automático na casa de R$ 70.000, o Argo oferece a versão Precision com a transmissão de 6 velocidades, opção esta que parte de R$ 67.800. De série ele conta com ar-condicionado convencional, central multimídia equivalente ao do Polo Highline, computador de bordo e mais nenhum outro recurso de tecnologia que mereça destaque. Ao menos ele se conta com start-stop de série. O Argo Precision conta com rodas de liga leve aro 15” de série, portanto com diâmetro inferior às do Polo Highline. 

Um detalhe importante no quesito segurança é que tanto o Argo Precision como o Polo Highline contam com os controles de estabilidade e tração de série, porém o VW sai de fábrica, independente da versão, sempre com 4 airbags. No Argo Precision, as bolsas infláveis extras custam R$ 2.500 e lhe obriga a levar em conjunto do “Kit Stile” (rodas de liga leve aro 16” e bancos revestidos de couro), o que por si só já eleva o preço do Argo Precision automático para R$ 72.500. Com todos os opcionais que ainda são oferecidos para o Fiat (acrescentando câmera de ré, sensor de estacionamento traseiro, chave presencial, ar-condicionado automático digital, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis, dentre outros), o preço do modelo atinge R$ 77.400. 

 
 
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
Volkswagen Polo 2018
Volkswagen Polo 2018
 
 

Logo, por um preço menor em suas versões mais completas, o Polo ainda entrega bem mais equipamentos sobretudo de tecnologia a bordo. É interessante destacar também que o Polo ainda reforça a segurança com o bloqueio eletrônico de diferencial, um item que somente ele oferece na categoria bem como o detector de fadiga.

É interessante destacar, contudo, que a sensação a bordo dos dois hatches é que o Argo entrega um habitáculo bem mais caprichado em termos da escolha de materiais e tecidos utilizados na construção da cabine. Se tivéssemos um carro com o acabamento do Argo Precision, somado com a mecânica e o nível de tecnologia do Polo Highline, teríamos o produto ideal dentro do segmento...

O que desagrada na cabine do Polo Highline é saber que você pode pagar até R$ 75.000 no modelo completo e não encontar sequer um centímetro de tecido nas laterais de porta. Chega a ser curioso, sobretudo no Polo equipado com o painel de instrumentos digital, o jogo tão sofisticado formado entre ele e a central multimídia na parte superior do painel, porém, ao descer os olhos, encontramos apenas plásticos simples pela cabine. Alguns deles, como a peça que compõe o porta-copos, mostra um aspecto pouco agradável ao olhar, em especial para um carro com a proposta "premium" do Polo.

Em comum, Polo e Argo oferecem porta-malas interessantes para a categoria, com capacidade na casa dos 300 litros, e espaço interno adequado para quatro adultos. Uma conveniência muito prática que você vai encontrar nos dois hatches é uma entrada USB destinada aos passageiros do banco traseiro, que podem usá-la para carregar seus smartphones.

Outro traço que Polo e Argo compartilham é o alto nível em termos dinâmicos que cada um deles é capaz de entregar, resultado da adoção de plataformas modernas como é o caso desta dupla. 

O Polo 2018 com sua arquitetura modular MQB consegue ser 44 kg mais leve do que a geração anterior do Polo oferecida por aqui, mesmo tendo crescido 16,7 cm no comprimento e outros 10 cm na largura. A rigidez torcional também melhorou graças ao uso de aços de alta e ultra alta resistência, além de aço estampado a quente. Nesse tipo de preparo, a chapa torna-se quatro vezes mais resistente do que uma similar com conformação tradicional. Exatos 18,5% da carroceria do Polo é feita com esse material. 

O que se nota ao volante são todos os benefícios combinados dessa evolução estrutural do modelo. O novo Polo é um carro silencioso, estável e muito agradável de ser conduzido, o que sempre foi uma das principais características da gama Polo. A direção com assistência elétrica não é “leve” demais como notamos em alguns carros, oferecendo uma calibração na medida certa. O câmbio automático de 6 marchas, pela primeira vez oferecido em conjunto com o motor 1.0 TSI dentro da gama Volkswagen, também forma uma boa dupla com o propulsor. Rápido nas trocas considerando se tratar de uma transmissão automática convencional, ela apresenta um comportamento interessante podendo realizar reduções agressivas quando o motorista pede por mais desempenho. Durante nosso test-drive, houve um momento em que a transmissão reduziu da 6ª para a 3ª marcha antes de iniciarmos uma ultrapassagem na estrada. As trocas ocorrem de maneira bem linear, sem trancos.

A boa embalagem do Polo Highline é agraciada com a elevada eficiência do motor 1.0 TSI. O ponto forte do propulsor, que conta com turbo e injeção direta, vai para o torque de 20,4 kgfm com etanol ou gasolina obtido a 2.000 rpm. Segundo a VW, o propulsor leva o Polo Highline de 0 a 100 km/h em 9,6 segundos e permite que a retomada de 80 a 120 km/h aconteça em animadores 6,7 segundos. Porém notamos que a unidade avaliada ainda estava um pouco “amarrada” nos momentos em que maior velocidade final era desejada. O carro em questão encontrava-se com cerca de 600 km rodados, portanto precisaremos avaliar outro Polo posteriormente para verificar se a sensação se confirma em um modelo já "amaciado". 

O Argo Precision automático, segundo dados da Fiat, acelera de 0 a 100 km/h 10,4 segundos, portanto um pouco mais lento que o Polo. Contudo, mesmo com start-stop, recurso que desliga o motor automaticamente quando o carro encontra-se parado, o Argo Precision automático não consegue superar o Polo Highline quando o assunto é consumo. O modelo da Fiat registra parciais de 10,1 km/l na cidade e 13,2 km/l na estrada com gasolina. O Polo, de acordo com os números oficiais, percorre 11,6 km/l e 14,1 km/l nos mesmos percursos.

Ao chegar ao mercado colecionando vários títulos, como o melhor carro em custo de reparabilidade ao lado do primo up!, um dos carros mais seguros do país e trazendo uma embalagem com vários equipamentos de conforto, segurança e tecnologia a bordo, o Polo passa a ser a melhor opção no segmento de hatches compactos. A única ressalva que podemos apontar no modelo é que ele merecia um acabamento mais caprichado, porém, fora isso, ele entrega um dos melhores comportamentos ao volante do mercado e um conjunto mecânico primoroso do ponto de vista da eficiência. A Volkswagen também promete custos competitivos de manutenção, peças e revisões para o modelo. Com tudo isso, alguém duvida que ele tem tudo para figurar no ranking dos cinco carros mais vendidos do país?

Ficha técnica

Volkswagen Polo 2018 Highline 1.0 12V flex automático 4p
Preço R$ 69.190 (09/2017)
Categoria Hatch compacto
Vendas em 2017 4.624 unidades
Motor 3 cilindros, 999 cm³
Potência 116 cv a 5500 rpm (gasolina)
Torque 20,4 kgfm a 2000 rpm
Dimensões Comprimento 4,057 m, largura 1,751 m, altura 1,468 m, entreeixos 2,565 m
Peso em ordem de marcha 1147 kg
Tanque de combustível 52 litros
Porta-malas 300 litros
Veja ficha completa

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |