Volkswagen ID.Life, um compacto elétrico com ares revolucionários

Marca alemã apresentou no Salão de Munique o conceito que antecipa o ID.2, modelo sustentável voltado para jovens e que custará entre 20 mil e 25 mil euros em 2025
O compacto elétrico ID.Life: sustentável, potente e mais versátil do que você imagina

O compacto elétrico ID.Life: sustentável, potente e mais versátil do que você imagina | Imagem: Divulgação

Lançamentos de carros inéditos costumam ser mais do mesmo: mais potência, mais espaço, mais tecnologia e preço mais caro. Mas a Volkswagen parece ter quebrado essa tradição ao revelar nesta segunda-feira (6) no Salão de Munique o ID.Life, primeiro elétrico compacto da marca, que está previsto para 2025 - deve receber o nome de ID.2.

Que a montadora alemã já havia dito que a família ID, de modelos 100% elétricos, cresceria, nenhuma surpresa. Porém, o ID.Life não é apenas uma versão menor do ID.3 e do ID.4, ele repensa vários aspectos da produção e do conteúdo de um veículo moderno.

O carrinho começa pelo fato de não ser um ‘carrinho’: tem 4,1 metros de comprimento, 1,85 m de largura, 1,6 m de altura e entreeixos de 2,65 m, ou seja, é maior que um Polo em todos os sentidos, mas leva apenas quatro ocupantes.

Veja galeria de imagens do Volkswagen ID.Life

As rodas são de aro 20 polegadas e as laterais flertam, é claro, com um estilo crossover, com paralamas imensos. Mas o ID.Life é muito mais que isso.

Na parte mecânica, ele é equipado com um motor elétrico de 234 cv de potência e 29 kgfm de torque. Você não leu errado, o compacto é extremamente potente e capaz de ir de 0 a 100 km/h em apenas 6,9 segundos.

A novidade é que o motor elétrico move as rodas dianteiras, o primeiro caso de um modelo com tração dianteira na plataforma MEB da Volks. Com tamanho desempenho, a autonomia seria sacrificada, mas não, o ID.Life poderá rodar cerca de 400 km com uma carga completa.

O painel do ID.Life traz um volante-manche com tela embutida
O painel do ID.Life traz um volante-manche com tela embutida
Imagem: Divulgação

Tela no para-brisas para cinema e jogos

Se você ainda não está convencido que o ID.Life pode ser um carro com ares revolucionários então saiba que ele será construído com material reciclável. O tecido teto total e do capô são feitos com plásticos de garrafas PET recicladas. Bio-óleo, borracha natural e cascas de arroz servem como materiais de base para os pneus do veículo.

O interior, como não seria diferente, traz um painel sensível ao toque com um volante em forma de manche que incorpora o painel de instrumentos. Há diversos acabamentos que dão leveza e um aspecto ‘caseiro’ ao ID.Life. Isso não é coincidência, a VW enxerga o carrinho como uma extensão da casa de seus proprietários.

A razão é que é possível utilizar seu interior de várias formas, como para transportar vários objetos graças ao rebatimento de bancos, mas também usar o ID.Life como sala de estar para assistir a um filme ou mesmo jogar videogame – ele vem com um console e um projetor que transforma o para-brisa em tela.

Acredite, o ID.Life vem equipado com console de games e um projetor que cria uma tela no para-brisas
Acredite, o ID.Life vem equipado com console de games e um projetor que cria uma tela no para-brisas
Imagem: Divulgação

Preço acessível na Europa

Até aqui já deu para sacar o que a Volks pretende. Ela quer atrair uma nova geração de consumidores que hoje não dão valor ao automóvel. Para isso será preciso não apenas ser sustentável em relação à propulsão, mas ao uso de materiais e ao papel do ID.Life em relação ao ambiente como um todo.

A montadora se mostrou bastante preocupada também em tornar o compacto bastante versátil para ser mais do que uma forma de locomoção, mas um espaço pessoal para esse público.

Talvez o mais interessante disso tudo é que a gigante alemã inverteu o caminho do “mais moderno, mais caro”. O ID.Life tem preço estimado entre 20 mil e 25 mil euros, ou seja, será mais barato que os carros elétricos compactos que são vendidos hoje na Europa, como o Renault Twingo (a partir de 22 mil euros).

A fabricante também fez questão de afirmar que seu cronograma de transformação da linha de produtos em veículos elétrica foi adiantado em dois anos, em linha com a pressão pela redução das emissões em mercados desenvolvidos.

Em meio a tantas novidades elétricas, o ID.Life traz um direcionamento bastante interessante e que poderia chegar ao Brasil também. Embora a própria marca diga que vai investir em modelos sustentáveis, a aposta aqui por enquanto é diferente, mais voltada à propulsão híbrida com etanol. Não deixa de ser preocupante, nosso país continuar desconectado do resto do mundo nesse sentido.

Volkswagen ID.Life
Volkswagen ID.Life
Imagem: Divulgação