Talvez o grande destaque do Salão de São Paulo 2018, a Volkswagen Tarok pegou muita gente de surpresa e também atraiu os olhares de muita gente ao redor do mundo, uma vez que a inédita picape compacta-média poderá chegar a vários outros mercados além do sul-americano.

Pelo menos aqui no Brasil e região, muitas marcas viram que a receita da Fiat Toro é algo certeiro, prova disso é que a picape já é o segundo veículo comercial leve mais vendido do país.

As conversas de que a Volkswagen estaria trabalhando em uma rival para a Fiat Toro já circulavam há um bom tempo e nos surpreendeu durante a apresentação do conceito Tarok no Salão de São Paulo as falas de vários executivos da marca anunciando que podemos esperar o modelo para “muito em breve” no mercado.

Pensando nisso, o designer Kleber Silva tratou de “limpar” a picape conceito exibida na mostra paulista, ou seja, retirar alguns elementos típicos de um showcar, como os filamentos em LED percorrendo a grade frontal, entre outros. Sendo assim, você confere em nossa galeria de fotos (basta clicar na imagem acima do texto) a projeção realizada por Kleber Silva adiantando o que podemos esperar da Tarok de produção.

Durante o Salão de São Paulo, a Volkswagen explicou que muito do que observamos no protótipo estará na picape quando ela chegar ao mercado, incluindo uma prática solução que permite compartilhar o espaço da cabine com a caçamba, uma das vantagens da construção monobloco em relação à carroceria sobre chassi como ocorre com as picapes médias.

A Tarok (a Volkswagen revela que o nome ainda não está definido e poderá ser alterado dependendo o resultado de algumas pesquisas) compartilha a mesma plataforma MQB que dá vida ao Polo, Virtus, Golf e o T-Cross nacional, porém recebendo os devidos reforços para conseguir transportar uma tonelada de carga na caçamba, mesma capacidade que a Fiat Toro oferece com motorização diesel.

Além da capacidade de carga, sabe-se que a Tarok terá opção de tração integral permanente 4Motion em algumas versões, porém os executivos da VW ouvidos pelo Autoo não deixaram claro se a Tarok terá ou não alguma opção de motor diesel, tipo de propulsor que tem um grande apelo junto ao público consumidor desse tipo de modelo.

De qualquer forma, a Volkswagen tem no leque de opções algumas pedidas bem interessante, como o já nacional 1.4 TSI flex, motor que é capaz de entregar na casa de 25 kgfm de torque, ou quem sabe até partir para o uso do 2.0 TSI nas opções topo de linha da picape. Com mais de 200 cv de potência e força na casa dos 35 kgfm dependendo da calibração adotada, ele daria não só torque de sobra para o modelo como também garantiria alto desempenho para a Tarok, diferenciando bem mais a picape de suas rivais hoje em dia no mercado. O SUV médio derivado do projeto Tarek deverá contar com motorização 1.4 TSI e 2.0 TSI em nossa região.

Vale a pena destacar que a Fiat Toro, por exemplo, hoje carece de um motor mais eficiente do que o 1.8 16V aplicado na sua configuração de entrada. A Renault Duster Oroch, por sua vez, carece de tração 4x4 no Brasil (ela conta com essa opção na Argentina) bem como uma alternativa com mais torque e potência do que seu 1.6 16V é capaz de oferecer. O motor 2.0 16V presente na versão mais cara da Duster Oroch não vai nada bem no que diz respeito ao consumo em especial quando associado ao câmbio automático.

Segundo notícias dos bastidores, não está descartado o lançamento da Tarok até mesmo ao longo de 2019 no mercado brasileiro, algo que certamente deverá mexer bem com o segmento. A nova picape compacta-média será uma adição à linha Volkswagen, portanto Amarok e Saveiro seguirão em linha normalmente. 

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/